Archive for agosto \31\UTC 2009

Samba de Raíz de primeira

31 de agosto de 2009

Na sexta passada estivemos no Cartola Bar, em BH, onde se apresentam os melhores grupos musicais da capital tocando samba de raíz. O bar fica ali no bairro Caiçara, e o telefone para reservas é o 3464.9778. Funciona de quinta a domingo e para quem gosta do verdadeiro samba vale a pena.

Anúncios

Quando um covarde merece resposta

31 de agosto de 2009

Também sou da seguinte opinião: o crítico que não mostra a cara quando escreve um texto para atacar esta ou aquela pessoa não merece resposta. Mas vou abrir uma exceção para um filha da puta que se identifica como “Anti-Melo” ou “Alcebíades”, seja lá como for. Felizmente, caro “fantasma” de merda, somos formadores de opinião e muitas vezes não agradamos a todos. E até criamos “inimigos”. São os ossos do ofício. E já falei trocentas vezes e vou repetir: jornalista que não tem opinião e posição melhor ser colunista social.

Mas, apesar de esse “fantasma” de merda não merecer réplica, faço questão de responder ao comentáriio desse covarde, que me chamou de “capacho de Mauri Torres e Carlos Moreira”. Seu filho da puta, prefiro, sinceramente, ser capacho de sua mãe, que deve ter mais apetrechos. Com relação ao deputado Mauri, em cinco vezes que ele se candidatou e saiu vitorioso nas urnas, com meu voto ele chegou à Assembléia Legislativa apenas uma vez. Votei nele somente nas eleições de 2004. Sobre Carlos Moreira, fomos colegas de rádio durante anos e, nas quatro vezes que disputou a Prefeitura de Monlevade, votei nele duas vezes: em 2000 e 2004. E graças a Deus não tenho rabo preso com nenhum deles, ou melhor, com político algum. Meu compromisso é com a minha profissão e com as minhas opiniões, certas ou erradas.

Tenho posições políticas, meu caro, mas há anos que me afastei da política partidária, porque, em minha opinião, ela nada representa neste país. Porque não há ideal e sim um monte de “Pês” querendo cada um enganar cada vez mais a população deste país. Portanto, caro “fantasma” de merda, faça a crítica que quiser, mas ao menos seja homem de mostrar a cara.

Ah, e só para encerrar, mais uma réplica: tenho um orgulho danado de ter me formado em Jornalismo (após 21 anos atuando como prático) e ter fundado o jornal “Morro do Geo”. Resgatar a história de um município é preservar para sempre a sua memória. O resto é balela.

Frase do Dia

31 de agosto de 2009

“Safado, picareta, sem vergonha e f.d.p. é aquele que se esconde atrás de pseudônimo para atacar os outros. Covarde que não tem a hombridade de mostrar a cara”.

Esta é minha e eu assino em baixo: Marcelo Manuel de Melo.

Triste não saber interpretar um texto

31 de agosto de 2009

Como é de conhecimento de todas as pessoas (em especial os monlevadenses) que acompanham o nosso jornal, “Morro do Geo” – fundado em 16 de fevereiro de 2001 com uma proposta totalmente diferente dos outros periódicos que circulam na cidade -, sabem que ele nasceu para resgatar a história política, social e cultural de nossa terrinha. No entanto, conta também com um espaço a qual chamamos “jornalismo besteirol”, que brinca com as notícias de Monlevade de uma forma bem caricaturada. E sem nenhum propósito de ofender as pessoas ali citadas e nem as entidades. E, especialmente a página 3 do nosso “divezenquandal” (assim o apelidamos, apesar de ter periodicidade mensal) é 100% besteirol, como fazia o “Pasquim” no passado e hoje é bem retratado na mídia televisiva, com o programa de grande sucesso, “Casseta e Planeta”. E, neste mundo doido e conturbado, fazer um jornalismo com humor faz bem à saúde.

Pois bem, mas às vezes a falta do que falar (e pensar) pode levar algumas pessoas ao ridículo. Isso porque, na última edição do “Morro do Geo”, edição nº 136, de agosto/09, inserimos uma matéria assim intitulada: “Exclusivo: Mauri sai candidato a governador com apoio de Aécio”. E a “notícia” foi publicada à página 3. Logicamente que era mais uma matéria de gozação, do jornalismo besteirol e, como ocorre em todas as edições do jornal, publicada para chamar a atenção. Aliás, nem deveria estar aqui dando esta justificativa, mas vamos deixar “os, entretanto e chegar aos finalmente”, como diria o prefeito Odorico Paraguaçu, cujo personagem era interpretado pelo saudoso e grande ator Paulo Gracindo na novela global “O Bem Amado”. E também era ficção. E também como é de costume, alguns leitores acreditam fielmente na matéria até o final, quando encerro assim: “as eleições deverão ocorrer em março e Mauri tem como adversário Paulo Moreira, presidente do Real Esporte Clube, que também anseia ocupar o cargo de Governador do Distrito L-25 do Lions Clube Brasil”… Alguma ofensa ou apenas brincadeira? Mas aí vem um camarada e me encaminha um e-mail, descrito abaixo na íntegra:

Mauri Matéria

Matéria veiculada no jornal “Morro do Geo”

Carta de um “Leão”

31 de agosto de 2009

“Prezado Marcelo Melo, na edição 136, de 21/8/2009, do Morro do Geo – jornal que tanto aprecio -, foi feita uma referência aos Lions Clubes, que realmente não me agradou, pois, além do “toque” pejorativo, apresenta algumas informações incorretas sobre essa entidade que faço parte e tanto prezo. As irregularidades, que relaciono abaixo, são:

1) O nosso nobre deputado Mauri Torres e amigo Paulo Moreira não poderiam pleitear nenhum cargo no Lions já que não pertencem ao movimento.

2) Os mandatos de dirigentes de Lions são anuais e não bienais. Se iniciam no dia 1o. de julho de um ano e se encerram no dia 30 de junho do ano seguinte, período ao qual denominamos Ano Leonísticao (AL).

3) Não existe distrito L 25, conforme citado no artigo, e os mesmos são conhecidos pelas siglas LA, LB, LC e LD, seguidas de um número, de acordo com a região. No nosso caso, nós pertencemos ao distrito LC-12, que possui 78 clubes e 1.700 associados, abrangendo grande parte do estado de Minas, fazendo divisa com os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia.

Outras informações: Nós somos um grupo de voluntários em todo o mundo com cerca de 1.320.000 associados e 45.400 clubes em 205 paises. No Brasil, somos 39.757 associados, 1.574 clubes distribuídos em 28 distritos (LA: 1 a 6; LB: 1 a 4; LC: 1 a 12; LD: 1 a 9).
OBS: O Distrito Múltiplo LC, apesar da sequência de 1 a 12, possui nove distritos, porque os distritos LC 7, LC 9 e LC 10 se juntaram em 2004 para formar o LC 12.
Coloco-me à disposição para quaisquer informações que se façam necessárias.
Atenciosamente”,

Fernando Barcelos Silva
Lions Clube de João Monlevade Sobral
Vice-Governador do Distrito LC-12
31 – 8765 6807

E o Kiko?

31 de agosto de 2009

Conhecem esta expressão? Pois bem, mas “e o Kiko”? O que eu tenho com isso se o caro Fernando Barcelos Silva, pessoa que muito admiro, não entendeu a brincadeira? Deus do céu, onde ocorreu alguma ofensa contra o Lions, entidade das mais sérias e que tem um trabalho social prestado de grande relevância em todo o mundo? E por si só basta citar os nomes das pessoas que integram os Lions Centro e Sobral de João Monlevade, a grande maioria que eu conheço e tenho muito respeito. Portanto, caro Fernando, ou você leu outra coisa, deseja aparecer ou então quer achar chifre em cabeça de cavalo. Quer saber? Ridícula a sua correspondência, mas por eu ser um sujeito democrático e que jamais me considerei dono de qualquer verdade, apresentei seu e-mail na íntegra, para que assim as pessoas possam fazer seu próprio julgamento.

No mais, sinto muito pelo seu julgamento, que apenas caracterizou despreparo de uma pessoa para liderar uma instituição tão séria e de uma história tão bonita, como é a do Lions Clube. Tente ser menos arrogante. Grande abraço, e pode ter certeza que não é de Tamanduá.

Mercado Central em festa

31 de agosto de 2009

O mais procurado ponto turístico hoje em BH é sem sombra de dúvida o Mercado Central e que está completando 80 anos de idade. Bem lembrou o nosso leitor Ricarbene, que sempre acompanha o nosso Blog. E realmente é um local abençoado e onde encontramos de tudo um pouco. E feliz de nós, seus freqüentadores, seja para tomar uma cerveja e saborear uma bife de fígado com jiló e cebola, seja para comprar temperos, queijo, farinha, carne e fumo. Ali é “o lugar”. Parabéns ao Mercado.

Mecado

Legislando em causa própria

27 de agosto de 2009

Sempre fui um ferrenho crítico contra aqueles que legislam em causa própria. Mas essa prática é mais usada pelos políticos, que sempre querem levar alguma vantagem nesse ou naquele projeto. De um jeito ou de outro, estão sempre do lado deles mesmo. Podem beneficiar o povo, mas primeiro me beneficiem. Dias desse mesmo critiquei o colega Silvan Pelágio, assessor jurídico da Câmara Municipal, pela prática. Ele escreveu um texto parabenizando a atuação do Legislativo, sendo ele ocupante de um cargo de confiança da presidência da Casa. Mas, independentemente de minha crítica, considero Silvan um cara inteligente, capacitado e excelente advogado. Além do mais, é músico, e isso por si só lhe dá outros bons valores, além da sensibilidade.

Pois bem, mas agora, escrevendo este texto, vou me permitir a me tornar incoerente. Odeio ser incoerente com os meus ideais, mas confesso que me tornarei neste instante, aqui e agora, ao legislar em causa própria. Permito-me este momento de incoerência, pois faço na mais completa lucidez, e literalmente sóbrio. Afinal, são dez horas da manhã, e nem é final de semana. Vamos lá!

Muitos gostam de copiar as boas coisas sem dar crédito aos criadores

27 de agosto de 2009

Copiar as coisas boas é algo justo, honesto, mas desde que esses copiadores dêem crédito aos criadores. Uma coisa que me enoja é “gozar com o pau dos outros”, ou seja, falar que foi você quem teve a feliz idéia, por exemplo, de compor a música “Construção”, de Chico Buarque. Não chegando a tanto, mas é tão bom, saudável, apresentar o criador. Outro exemplo: nunca deixei de citar o nome do amigo e jornalista Márcio Passos como o idealizador do jornal “Morro do Geo”, fundado em fevereiro de 2001. O jornal foi fundado por mim, mas a idéia partiu do Márcio, inclusive o nome do periódico. E dar crédito, seja ao idealizador ou ao criador,é uma coisa que não abro mão.

Pois bem, mas fico hoje imaginando como as pessoas, ou melhor, muitas pessoas, preferem em omitir nomes que pertencem ou pertenceram à nossa história. E, legislando abertamente em causa própria, dou primeiro o exemplo do próprio “Morro do Geo”. Graças ao jornal, o monlevadense – presente ou ausente – começou a desabrochar dentro dele um orgulho que estava embutido, o de ser monlevadense da gema, de amar esta terra e o seu passado. A história, através das fotografias antigas e históricas, os personagens que deram vida à Vila Operária, aos emancipadores, os casos e causos e toda essa perspectiva fez acordar um sentimento do monlevadense. E hoje isso é comprovado, através, principalmente, dos sites de relacionamento (Orkut é o mais popular), onde muitos desses monlevadenses armazenam fotos antigas e a história de João Monlevade é passada de geração a geração, graças à rede mundial de computadores. Mas tudo começou com a proposta do “Morro do Geo”, em resgatar a história política, social, econômica e esportiva de nossa cidade, desde os tempos do pioneiro Jean Monlevade.

Mas, o pior é ver os imitadores se passando por idealizadores ou criadores. Daí nasceram tantas pessoas que se sentem no direito de roubar a identidade do criador. E fazem questão de esquecer da semente plantada. Como diria Gilberto Gil, “gente estúpida, gente hipócrita”… E isso nos enoja, ou seja, de ver o imitador se passar por criador. E, como diz o ditado: “pra burro um pingo é letra”.

“Encontrão do Polivalente”

27 de agosto de 2009

Outro fato é relacionado ao “Encontrão do Polivalente”. Junto com os amigos Mário Mendes, Elenice Martins Barros, Nilvânia Bramante, Ana Maria Caixeta e Marisa Siman, realizamos um encontro de ex-alunos e ex-professores da Escola Polivalente, formados entre 1974/1975. Mais de duzentas pessoas se fizeram presentes, nos dias 6 e 7 de setembro de 2002. Repetimos a dose em 2003 e mais uma vez foi um grande número de ex-alunos e ex-professores. Estava concretizado o nosso sonho, já que passamos por um sistema de ensino único no Brasil e que nos deu base para preservamos as amizades.

Agora, passados alguns anos, a semente que plantamos deu frutos e até a fanfarra do Polivalente retornou ao desfile de sete de setembro, no ano passado, e volta à avenida este ano, sob a batuta do professor Charles, um grande idealizador. Também alguns ex-alunos se encontrarão no bar “Skondidinho”, de propriedade de Adilson Vieira, ali no Vila Tanque, no dia 5 de setembro, para uma confraternização. Legal, muito bonita a proposta, mas, legislando novamente em causa própria, não queiram passar por criadores. São imitadores e eu os aplaudo por darem continuidade à nossa proposta, mas dêem crédito, não sejam omissos.

Valeu, e continuem imitando, mas sem se esquecerem dos criadores. E não precisamos registrar nenhuma patente, porque a história está aí para ser contada.

Ex-Alunos e Colaboradores

Nós idealizamos e criamos este encontro. Aqui, o I “Encontrão do Polivalente”, em setembro de 2002