Archive for dezembro \31\UTC 2009

17 anos sem !Tim Mirim”

31 de dezembro de 2009

Hoje, 31 de dezembro, são completados 17 anos sem o professor e historiador Nilton de Souza, o popular “Tim Mirim”. Naquele 31 de dezembro de 1992 ele nos deixava, cuja lacuna jamais será prrenchida.
Abaixo, uma crônica escrita pelo seu amigo Chico Franco, falando um pouco deste grande homem.

Meu Amigo Tim

“Foi um dos melhores amigos que já tive. Ia sempre à minha casa e tínhamos encontro certo todos os sábados pela manhã. Era em frente ao prédio onde funciona hoje a Secretaria de Educação e Secretaria de Trabalho Social.
Estou falando de Nilton de Sousa, o Tim, ou Timirim para alguns.
Pequenininho, lembrando aquele estilo norte americano com a sua calça jeans, quem o via e não conhecia não imaginaria nunca que ali estava um gigante pela sua cultura, não só a Greco- Romana, mas a literatura brasileira, música, artes plásticas e um balaio de folclorismo de fazer inveja.

Era um legitimo brasileiro. Não se ufanava e nem se orgulhava de saber o que sabia. Gostava de criar situações de humor. Recordo que, certa feita, mais ou menos às 19 horas, o telefone da minha casa chamou. Era a esposa dele procurando por ele que havia marcado um encontro em sua residência com um pessoal do Rotary Clube. Ela me perguntou pelo Tim, explicou-me a razão da procura e eu, aproveitando o gancho para armar uma em cima dele, respondi: “Você não estava com ele agorinha mesmo, quando passaram juntos com destino às Pacas?” Ela disse que não, lógico, e eu fiquei afirmando que os vi dentro do carro. Não se passaram 15 minutos e ele me ligou morrendo de rir e dizendo: “Olha aqui, seu danado, desmente porque se não estou perdido”.

Mas o Tim gostava muito de incentivar os que estavam começando com algum tipo de arte. Aconselhava e era franco em dizer se a pessoa estava indo bem naquilo que fazia ou não. Dizem que na escola onde lecionava era assim também com os alunos. Era parte da personalidade de homem honesto que sempre foi.

Partiu de forma prematura sem dar tudo o que sempre sonhou para a cultura de João Monlevade. Levou para o túmulo, ainda, a decepção com alguns políticos aos quais ele depositou vã confiança”.

Anúncios

Conheça Minas Gerais!

28 de dezembro de 2009

Fotos: Marcelo Melo.

Diamantina: apresentação do grupo “As Pastorinhas” nas ruas da cidade

Vista parcial de Ouro Preto

Tiradentes: saída do trem “Maria Fumaça” com destino a São João Del Rey

Montanhas em São Gonçalo do Rio das Pedras, distrito de Diamantina. Distante 6 quilômetros de Milho Verde, distrito do Serro

Rua principal do distrito de Lavras Novas, distante 17 quilômetros de Ouro Preto, antigo Quilombo

Vista parcial de Lavras Novas, com a Igreja construída no século XVIII, ao fundo

Em Lavras Novas, distrito de Ouro Preto, o povo não tem pressa

A famosa “Vesperata” apresentada no “Beco do Mota”, em Diamantina

Serenata na Rua da Quitanda, em Diamantina

Feliz Natal

24 de dezembro de 2009

Nesta data especial, quando nós, cristãos, festejamos a chegada de Jesus, vamos tentar ser mais solidários.

“Figa de Guiné”. Show de samba

22 de dezembro de 2009

O grupo de samba “Figa de Guiné”, de BH, apresenta-se todos os sábados, de 4 da tarde a 8 da noite, no “Estabelecimento Bar”, localizado ali no bairro São Lucas. E no sábado passado, em companhia das amigas Elenice e Marisinha (monlevadenses que residem na capital), tive o prazer de conhecer o grupo, que interpreta o melhor do samba de raíz. E para quem gosta do gênero, vale muito a pena dar uma conferida.

Os ouvidos agradecem ao ouvir canções de compositores do nível de um Elton Medeiros, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, João Nogueira, Paulo César Pinheiro, Eduardo Gudim, Noel Rosa, Nelson Sargento, Nelson Cavaquinho, João Bosco, Beto sem Braço, Almir Guineto e outras feras. E tem gente que ainda prefere o breganejo!. Fazer o quê?

Depois de uma cerveja no Mercado…

22 de dezembro de 2009

Depois de uma cerveja no Bar do Geraldinho, no Mercado Central, na tarde dessa segunda-feira, uma pausa para as notícias. E ouço na Itatiaia que o vereador daqui de BH, jornalista Adriano Ventura (PT), nosso ex-professor na Funcec, teve aprovado um projeto de sua autoria que exige diploma de jornalismo para concursos da área realizados em repartições públicas municipais. Defesa de reserva de mercado. E nesse ponto, o moço está certo.

Por outro lado, o nosso ex-professor foi contrário a um projeto que pune pessoas que promovam invasões em áreas públicas e privadas. Ou seja, em defesa da bancada da Igreja Católica, também é favorável aos movimentos que promovem invasões a propriedades, sejam o MST (Movimento dos Sem Terra), o MSC (Movimento dos Sem Casas) ou outro qualquer.

Mas, cá pra nós, a Igreja é bem incoerente. Afinal, por que não ordena que tais movimentos invadam também as suas terras improdutivas e que seus tesouros possam ser divididos com as lideranças dessas “pobres” instituições?

Fotos que marcam a história de Monlevade – Arquivo: Jornal Morro do Geo

19 de dezembro de 2009

Vista parcial da Cidade Alta

Vista parcial da Tieté

Vista geral da Usina na década de 50

Praça do Cinema no anos 1960

Vista geral da saudosa praça do Mercado

Procissão na Semana Santa pela rua da Estação. Ao fundo a Matriz São José Operário

Antiga Rodoviária na rua Beira-Rio

Fotos que marcaram Monlevade – Arquivo: Jornal Morro do Geo

19 de dezembro de 2009

Vista do Cassino após sua construção

Início da cidade antes da construção da praça do Cinema

Vista das Três Casas, na entrada da estrada do Jacuí

Da amiga Claira – “Chapéu coco na sexta-feira”

18 de dezembro de 2009

“É isso aí! Prefiro esse Marcelo poético e bem humorado. Esqueça os outros, não se rebaixe. Não deixe que as críticas destrutivas (é claro) o desmotive. Siga em frente e compre o seu “pisante branco e uma calça de linho, também branca. Uma camisa amarela. Chapéu coco…”! Como é bom abrir o seu blog em plena sexta-feira e encontrá-lo falando das boas coisas da vida! O dia fica ainda mais ensolarado, digno de uma sexta-feira que se preze. Por isso, meu amigo “cabra da peste”, seja sempre sexta-feira, mesmo que a segunda, ou a quinta-feira (no caso), seja cinza. Esteja sempre como um bom malandro: charmoso, bonito, elegante e sem se preocupar com o que falam de você. Prefiro esse Marcelo poético e bem humorado! Um grande abraço da sua sempre amiga”.

Claira Ferreira – João Monlevade

Para a amiga Claira

18 de dezembro de 2009

Menina, que bom receber este e-mail. Estava necessitado e partindo de uma amiga, fico ainda mais feliz. Realmente melhor às vezes ser poeta, ser romântico e deixar que as águas continuem mantendo seu curso normal. Como se diz na gíria popular, “deixe que a abóbora se lasque”.

Mas nem sempre consigo ser sereno; faz parte do caráter, do jeito meio estúpido de ser… Mas é melhor ser sexta-feira do que segunda, ainda mais se for cinzenta. Menina, mas o que vale mesmo nesta vida são as amizades e se formos levar tudo ao pé da letra, acabamos cometendo alguma loucura. E desta vida levamos também as boas lembranças. E tristes devem ser aquelas pessoas que não têm histórias e nem amigos para contar causos e mais histórias.

Um abraço, minha amiga.

E-mail de um Leitor – “Justiça foi criada para ser feita”

18 de dezembro de 2009

“Marcelo,

Sabe, me preocupa em muito que, todo este embate tenha nascido de um comentário de um leitor, acerca da qualidade de ensino da Funcec. Vocês jornalistas, que, formados naquela instituição, deveriam sim, era elencar as qualidades da metodologia adotada. Formadores de opiniões de boa qualidade que são, estão praticando justamente o contrário, este espirito desaglutinador não deveria reinar, não leva a nada. Essas altercações em nada contribuem para o bom jornalismo. Tanto você, quanto o Thiago deveriam sim era suscitar e fomentar idéias para soluções de nossa Jean Monlé e não ficarem se digladiando”.

Pedro Paulo Costa – João Monlevade