Archive for julho \31\UTC 2010

Nota de Esclarecimento – Postado ontem no Blog “Ninho de Cobra”

31 de julho de 2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010

“Decidi escrever este pedido de desculpas, após ter lido no blog do Marcelo Melo uma postagem que comentava o meu texto intitulado “Minas Pode Eleger um Homossexual”. Assumo que errei em tê-lo postado mas me inocento das acusações de preconceituoso que recebi.

Gostaria de deixar bem claro, que aquela postagem foi feita com única intenção de passar aos meus leitores uma análise limpa de algumas estratégias de campanha, destacando acertos e erros; e ainda acredito que o fato de o Governador Anastasia ser ou não homossexual, o que quero deixar bem claro em nada me interessa, pode atrapalhar sua campanha, pois não sou hipócrita ao ponto de dizer que vivemos em uma sociedade sem preconceitos.
Porém a intenção dessa postagem não é me explicar e sim me desculpar.

Quero deixar bem claro que não tive nenhuma intenção em agredir aos “GLBT’s” assim como não tenho nenhum preconceito quanto a essa condição. Concordo com alguns comentários no blog do amigo Marcelo que defenderam a tese de que um homossexual é uma pessoa comum, com mesmos direitos e deveres de todos os outros cidadãos, e é por isso que venho me explicar e tentar me redimir.

Novamente peço o perdão por minhas declarações e ausento meus amigos Marcos Ferreira e Helvécio Caldeira de qualquer responsabilidade. Foi uma postagem minha, e reconheço, de muito mal gosto.

Obrigado pelas críticas e abraços”.

Raoni Ras – Um dos responsáveis pelo Blog “Ninho de Cobra”

Anúncios

Valeu, Raoni. Erros fazem parte de nossa jornada

31 de julho de 2010

Pois bem, mas venho aqui parabenizar ao colega Raoni Ras, um dos responsáveis pelo Blog “Ninho de Cobra”, que teve a coragem e a sensibilidade de se desculpar perante o seu público, diante daquele comentário infeliz que fez e que atingiu não apenas o candidato ao governo de Minas, Antônio Anastasia, mas sim a todos os homossexuais. Bastante sensato o seu esclarecimento, mas devo dizer que todos nós cometemos erros. Isso faz parte de nossa lida e atinge principalmente nós, formadores de opinião e que temos a coragem e a ousadia de expor as nossas idéias.

E que vocês três continuem firmes com o Blog, que é um importante instrumento na mídia e atinge um público mais politizado e portanto mais consciente. O “Ninho de Cobra” tem conseguido realizar um importante papel de formador de opinião. E precisamos cada vez de mais jovens talentosos como vocês, com este ideal. Afinal, escrever tona-se um vício muito agradável. Parabéns a vocês, Raoni, Marcos e Helvécio. Um abraço.

Resposta do ex-vice-presidente do PV

31 de julho de 2010

“Caro Marcelo Melo,
Não poderia deixar de expor um comentário neste espaço, pois parece-me mais que necessário, pois fui mencionado em um comentário inerente.

Primeiramente tenho que concordar em plenitude com seus últimos artigos que trazem alguma referência ao tema: pevistas e dissidentes. Você fez uma menção jornalística em função do cenário político que envolve as partes bem como informações divulgadas pelos mesmos. Entretanto discordo totalmente dos comentários que li até então.
Parece que nem todos que leram, não souberam ou não quiseram interpretar de forma adequada o exposto. Se você foi induzido ao “erro” a culpa é dos pevistas e dissidentes que nos últimos meses tem travado uma batalha que ultrapassam as barreiras da política, e não me excluo deste núcleo. Esclareço que as intenções do novo grupo em que participo deixaram de ser meramente oposicionistas, pois no momento o pevistas dissidentes, entre outros, têm interesses mútuos que são agregar eleitores que simpatizem por José Fernando e Marina.

O que importa a partir de agora é sair para as ruas e pedir votos. No mais, não interessa se este ou aquele é ou não do PV. Essas discussões só servirão para distanciar as partes, e o eleitor não se interessa por esta politicagem infanto-juvenil. Deixo bem claro que discordo da administração pevista em Monlevade, pois não tinha espaço para debates internos, pois o partido tinha dono. E o cenário atual mostra que eu estava certo. Contudo, o apoio aos candidatos era um compromisso que eu tinha feito com os mesmos, que acabou contagiando outros. Informo que ninguém que faz parte do grupo que me encontro foi enganado, como mencionado em um comentário, pois foram várias reuniões em Itabira e Belo Horizonte até o último encontro, quando foi feita a foto divulgada pelo grupo, que aconteceu no escritório do deputado Antônio Roberto, na capital, semana passada.

Na próxima segunda postarei no meu blog: pitaculo.blogspot.com , artigo contando como surgiu o movimento e o apoio aos candidatos.

Obrigado e até”.

Werton Conceição Santos – Ex-vice-presidente do Diretório Municipal do PV

Resposta do presidente do PV sobre “De quem é o PV de Monlevade”?

30 de julho de 2010

“Marcelo, eles não fazem parte do Partido Verde. Não todos, mas somente o Nivaldo Martins (Guim) e o Vaender Castro. Os demais não são filiados do Partido Verde. E os que sairam não são os principais integrantes da Executiva Municipal não. Você está enganado.

Procure o partido ou nos mande seu telefone, que iremos esclarecer as dúvidas.

Mendelsom Clayton – Presidente do Diretório Municipal do PV – Partido Verde

E o Movimento?

30 de julho de 2010

Então fica ainda mais evidente o racha entre as duas alas. Afinal, segundo informou o próprio presidente do partido, Guim e Vaender continuam filiados ao PV. E os demais, como Werton e Fernando, eram da linha de frente do PV de João Monlevade e hoje são dissidentes, ou seja, desfiliaram-se da agremiação. Mas, o fato de estarem os membros do movimento “Pela lealdade do voto” apoiando candidaturas do PV, há controvérsias.

No mais, obrigado ao Mandelson, por tentar explicar o problema, negando o racha.

Também estamos à disposição.

A Imprensa e sua responsabilidade em informar

30 de julho de 2010

Nós, da imprensa, temos a péssima mania de especular alguns fatos. Muitas vezes transformamos boatos em fatos que, mesmo não sendo notícias oficiais, acabam criando toda uma expectativa diante da opinião pública. Um exemplo é que, diante de tantos homicídios ocorridos em Monlevade nos últimos três anos e a grande maioria estar ligada ao tráfico de drogas (como disputa por pontos, dívidas com traficantes e outros problemas), acabamos criando um lugar comum e, a cada crime, ligamos logo ao mundo das drogas. Mas nem sempre a coisa funciona assim.

No caso do homicídio contra o jovem Márcio Antônio, o “Tico”, ocorrido no final da semana passada, a imprensa monlevadense – tanto a escrita quanto a falada, e também em alguns blogs – criou um fato tentando justificar o crime. E qual foi? Que se tratava de uma rixa entre as torcidas organizadas da Máfia Azul e da Galoucura, e a vítima era integrante da torcida do Cruzeiro. Depois mais especulações em torno da possibilidade de um crime passional, ou seja, envolvendo disputa por uma namorada. De repente, a mídia – da qual faço parte – acaba transformando a vítima em réu, numa absurda inversão de valores. Temos de parar e pensar um pouco na forma de como publicamos a notícia. Devemos ter mais racionalidade para especularmos e julgarmos menos.

Segundo familiares e amigos de “Tico”, ele não participava de nenhuma torcida organizada e nem conhecia o rapaz que lhe desferiu a facada, que ainda continua em liberdade

Mea Culpa

30 de julho de 2010

Lendo hoje ao jornal “A Notícia” sobre a matéria relacionada ao assassinato de “Tico”, em que foram entrevistados familiares do jovem, tive a convicção de que nós, da imprensa, noticiamos fatos especulativos apenas porque ouvimos alguém comentar. Nessas horas, é muito temeroso darmos valor à “rádio Peão”. Não seguimos o exemplo daquele sábio que prefere peneirar as informações. Na entrevista uma irmã da vítima confirma inclusive que ele nunca fez parte de nenhuma facção de torcida organizada e que apenas era torcedor comum. E que estava ali tentando tirar um colega que participava da briga. E acabou tendo a vida tirada tão prematuramente na ponta de uma faca, nas mãos de um imbecil, um covarde. Aliás, tive informação ontem por parte de algumas pessoas que conviviam com o jovem, estudante na escola Dr. Geraldo Parreiras, na Vila tanque, que se tratava de um cara alegre e extrovertido, sem inimigos.

E o que desejam os pais e os irmãos do jovem? Apenas justiça para que o assassino pague pelo seu crime atrás das grades, como determina a lei. Só que ainda está à solta, sendo que, de acordo com a matéria, até a fotografia do criminoso já foi vista pelos familiares de “Tico”. E há testemunhas que podem identificar o assassino. Portanto, a sociedade também pede justiça e um basta à violência que também acomete João Monlevade.

Pois bem, e quanto aos fatos especulativos os quais somos responsáveis em transformá-los em notícias, nos obriga a refletir, com a Mea Culpa, principalmente aos familiares e amigos do “Tico”. E que Deus dê consolo a eles.

Edu Maluf pode deixar o Galo e assumir cargo na CBF

30 de julho de 2010

Pouco mais de um mês depois de acertar seu retorno ao Atlético, depois de 10 anos no Cruzeiro, em sua segunda passagem pelo clube alvinegro, Eduardo Maluf foi convidado pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e poderá ser o novo diretor de seleções da entidade. O anúncio oficial é esperado para as próximas horas. Maluf se encaixa no perfil traçado pelo técnico Mano Menezes para ajudá-lo na organização das equipes olímpica (que lutará pelo ouro inédito nos Jogos de Londres’2012) e adulta, que terá a missão de conquistar o hexacampeonato em casa, na Copa de 2014. Além disso, por conta da grande experiência como supervisor e diretor de futebol, pode cuidar das questões cotidianas, enquanto Teixeira se concentra no planejamento e na execução das ações para o próximo Mundial, como já deixou claro.

O convite foi feito quarta-feira, quando o presidente da CBF esteve em Belo Horizonte para vistoriar as obras de reforma do Mineirão. Teixeira passou a tarde reunido no Rio com Mano Menezes e discutiu o pacote de mudanças na comissão técnica da Seleção. Enquanto isso, no Atlético, Maluf fez questão de evitar a imprensa e se limitou a dizer que está “100% concentrado no clássico de domingo, com o Cruzeiro, em Sete Lagoas”.

Edu Maluf, aqui durante um encontro com os amigos Marley, Jésus, Tim, Nilberto, Noel, Ivanil e Nicolau, recentemente na casa da família Roberto. De malas para o Rio

De quem é o PV de Monlevade?

30 de julho de 2010

Pergunto: de quem é o Partido Verde de Monlevade? Não sei e não tenho a mínima idéia. Afinal, os principais integrantes da Executiva Municipal pevista se descompatibilizaram com o governo Prandini e fazem hoje oposição declarada. E agora, para gravara ainda mais o relacionamento entre as duas alas, nasce o “Movimento pela Lealdade do Voto”, formado exatamente pelos dissidentes. E, apesar da dissidência, permanecem aliados ao PV. Assim como também o prefeito e outros militantes.

E a briga chega às eleições, já que este grupo tem por finalidade investir em uma campanha 100% pevista para a Assembléia Legislativa e a Câmara Federal. Tanto que já declararam apoio aos verdes Antônio Roberto, de Belo Horizonte, à Câmara Federal; e do itabirano Damon de Sena, à Assembléia. Ao contrário do prefeito Gustavo Prandini de Assis, que firmou um compromisso um tanto inexplicável com o deputado Alexandre da Silveira, PPS, à Câmara Federal. Daí o racha e com a seguinte declaração dos integrantes do movimento ligado ao PV: “O novo grupo diz não concordar com a forma como o governo Prandini administra a cidade e, por isso, busca outros parceiros, já pensando, inclusive, em uma nova opção para a prefeitura monlevadense nas eleições de 2012”. Este pronunciamento foi passado á imprensa local, através de release.

Da esquerda para a direita: o Professor Guim, o Economista Vaender Pessoa, o Advogado Fernando Garcia, o Deputado Federal Antônio Roberto (PV), o Professor Werton Santos, o Jornalista Carlos Coelho e o coordenador da campanha de Damon de Itabira(PV), Jandirão

Guerra declarada

30 de julho de 2010

Portanto a guerra está declarada e a minha particular surpresa foi ver que até um dos mais fieis aliados do prefeito Prandini, o jornalista e diretor do jornal “Alô Cidadão”, Carlos Coelho, “Carlinhos”, integrou-se ao movimento, declarando oficialmente que também é hoje oposição ao governo municipal.

Quem diria, mas logo “Carlinhos”, que chegou a passar o seu periódico de mensal a semanal, graças ao apoio publicitário da Prefeitura neste mandato, é mais um verde dissidente. Seria a torneira fechada? Deixa pra lá…