Archive for novembro \30\UTC 2010

São Gonçalo ganha prêmio de melhor merenda escolar do Brasil

30 de novembro de 2010

O prefeito “Nozinho”, de São Gonçalo, sendo cumprimentando pelo presidente Lula em solenidade ocorrida ontem

Pelo segundo ano consecutivo a Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo foi premiada pelo Governo Federal com o “Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar”. A premiação foi entregue na manhã desta segunda-feira em solenidade realizada em Brasília. Das 1.340 cidades inscritas, o município está entre as 21 das cinco regiões brasileiras a conquistar o prêmio e, ao lado de Belo Horizonte, são as únicas cidades premiadas de Minas Gerais.

A edição deste ano trouxe novidades. Para cada uma das regiões foram premiadas quatro prefeituras, totalizando 20 municípios. Na avaliação foram analisados os aspectos de quatro indicadores básicos: Desempenho Administrativo-Financeiro, Eficiência Nutricional, Desenvolvimento Local, e Participação Social.

Para o prefeito Raimundo Nonato Barcelos, o Nozinho, que recebeu o prêmio das mãos do presidente Luís Inácio Lula da Silva, a premiação pelo segundo ano consecutivo mostra que o município investe na base e no bem-estar das crianças, permitindo uma boa nutrição dos alunos e contribuindo para um melhor aprendizado. “Esse reconhecimento faz com que todas as pessoas envolvidas no processo fiquem mais motivadas a trabalhar pela educação em São Gonçalo”, destacou.

Anúncios

Vem aí o projeto “João Monlevade: Caminho de Riquezas”. Idealização: jornal “Morro do Geo”

30 de novembro de 2010

É preciso agir para manter preservada a história de Monlevade

30 de novembro de 2010

O Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Cultural e Artístico, criado na administração do ex-prefeito Carlos Moreira, precisamente em abril de 2006, parece que anda um tanto omisso em relação a alguns fatos que têm ocorrido em nossa cidade no que tange à preservação de nossa memória. É que entre 2006 e 2007 foram catalogados alguns locais que devem ser tombados como patrimônio histórico. Só que, até o momento – me corrijam se eu estiver errado – parece que o projeto ficou apenas no papel e nenhum ato foi tomado para que se concretize. E, entre esses pontos, estão catalogadas as casas de madeira construídas pela Belgo-Mineira nos anos 1940, no bairro Vila Tanque, e que integraram o complexo da 1ª Vila Operária construída na América Latina.

Ocorre que algumas dessas casas, principalmente a 21, popular “Rua do Sapo” (foto acima) estão sendo demolidas e nos lotes construídas outras de alvenaria, o que significa destruir a nossa história, e desfazer a memória daquilo que aqui foi erguido. Infelizmente entre os anos 1984 e 1988 perdemos monumentos arquitetônicos maravilhosos, em estilo neoclássico, para expansão da Usina. Naquele tempo ainda não havia consciência entre nós, monlevadenses, para se preservar a história. Mas hoje a situação é outra e temos a obrigação de conservar o que ainda nos resta da antiga Monlevade. E, entre esse patrimônio, restam as casas de madeira da Vila Tanque a parece que algumas poucas no bairro Jacuí.

Portanto, queremos uma resposta por parte do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Cultural e Artístico. “Um povo sem história é um povo sem memória”.

Decoração de Natal é inaugurada em São Gonçalo

30 de novembro de 2010

14 pontos da cidade receberam decoração e iluminação

A Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo inaugurou na noite da última sexta-feira (26) a decoração de Natal em 14 pontos do município. A solenidade aconteceu no adro da Igreja do Rosário (foto) e contou com grande participação da população.

Foram utilizados cerca de 70 mil garrafas pet e 525 mil lâmpadas pela Frente de Trabalho no Centro de Atenção ao Trabalho e Economia Solidária (Cates) para decorar 14 pontos da cidade: Centro Cultural, Ponte da Rua Henriqueta Rubim, Igreja do Rosário, Prefeitura, Câmara Municipal, Praça Cônego João José Guimarães Marques, Igreja de Santa Efigênia, Calçadão da Baixada, Centro de Saúde, escadaria da Igreja Matriz, Escola Integral, trevo do Parque de Exposições e as entradas da cidade.

As luzes foram acesas pelo prefeito Raimundo Nonato Barcelos, o Nozinho, que destacou o trabalho realizado pela Frente de Trabalho e por todos que colaboraram para enfeitar a cidade.

O evento também contou com a bênção do pároco de São Gonçalo Fernando dos Santos Andrade, com a apresentação da Corporação Musical Santa Cecília e um desfile de funcionários do Cates com as matérias-primas utilizadas na confecção das peças natalinas.

A convivência e as coisas simples nos fortalecem

30 de novembro de 2010

Triste do homem que não tem amigos. Infeliz do ser humano que não tenha uma pessoa com a qual possa contar, sempre. A vida tem de ser coletiva, da porta pra fora. E sonhos sonhados a sós não passam de sonhos. Juntos, viram realidade.

Quando jovem, estudante em BH e morador de República (onde se comia ovo de segunda a sexta-feira, carne aos sábados e frango com macarrão aos domingos), sempre, quando ia ao centro (morava na Gameleira ou na Nova Suiça), passava ali para rua Curitiba, onde ficava a loja das “Edições Paulinas”. Lá também havia uma capelinha e era gostoso entrar ali e fazer uma oração. Havia cartões com fotos de flores, campos, riachos, cachoeiras, pássaros e também com imagens de Cristo. Além de mensagens e livros religiosos. Eu sempre comprava ao menos um cartãozinho para dar à namorada. Ou mesmo a um amigo. Presenteei uma vez os amigos Zé Roberto e Zé Vital, quando tinham um bar na rua do Andrade, chamado “Encontro Marcado” (o nome foi dado por mim e o Decinho, plagiando um programa que passava na Rádio Inconfidência FM) com um quadro contendo a fotografia de um homem caminhando em uma estrada estreita e a frase “Eu sou o caminho a verdade e a vida”. Isso foi mais ou menos em 1984, quando voltei a morar em Monlevade. E até hoje, mais de vinte anos depois, o Vital ainda tem o quadro pendurado na parede de seu bar, que hoje funciona à rua 21 (Rua do “Sapo”), no bairro Vila Tanque. O mesmo nome, o mesmo “Encontro Marcado” e a mesma lembrança que dei aos amigos, comprado na loja das “Edições Paulinas”.

A vida a cada ano parece mais acelerada. Mas felizmente e graças a Deus ainda há tempo para admirarmos as coisas simples. Pode parecer brega ou cafona (ô antiga, héin Juju), mas quantas vezes ao ano paramos para apreciar uma flor? Ou viajar em um beija-flor batendo suas rápidas asas sobre algumas pétalas! Nós somos mesmos imbecis, materialistas filhas da puta e que nenhum valor damos a esta bela e bonita natureza. E incluo, entre esta bela e bonita natureza, o convívio entre as pessoas. E, além das flores, também damos tão pouco valor às amizades, aos amigos, colegas, familiares, contemporâneos. E não deveria ser assim, ainda mais hoje, com a rede de computadores, que tanto nos facilita encaminhar e-mails, manda mensagens, fotos, lembranças. Deu saudade? Deu vontade? Mande um abraço a alguém. Um beijo. Um aperto de mão, sei lá…

E, para encerrar, quero mesmo é agradecer aos amigos, colegas, contemporâneos da Vila Tanque e da Escola Polivalente, aos “irmãos” de República, aos colegas jornalistas e blogueiros, à cachaça, à farofa, às mulatas e às sereias, glória, como disseram os poetas João Bosco e Aldir Blanc. E viva a convivência!…

Dia de São José Operário

30 de novembro de 2010

Dia de São José Operário e os fiéis, carregando a imagem, saem em procissão do Largo da Igreja Matriz.

Uma bela imagem num tempo em que era comum usar terno. UM outro detalhe: era uma procissão formada somente por homens. UM tempo de uma Monlevade da década de 60

Arquivo: jornal “Morro do Geo”

Frase do Dia

30 de novembro de 2010

“Feliz é a sociedade que não tem raiva dos seus pensadores. Mais feliz ainda é a sociedade que possui tantos deles atuando em seu meio, como João Monlevade o tem. Mesmo de forma imperceptível no dia a dia, o futuro da cidade será menos tenebroso que poderia ser, se ela não valorizasse com lucidez os seus filhos atuantes em tantas frentes de evolução de pensamento.

(Célio Lima)

As chatices e os maus exemplos vindos das novelas

30 de novembro de 2010

Sou um noveleiro convicto. Bom, isso desde que goste do enredo. A primeira telenovela que assisti foi pela Rede Globo, entre julho de 1966 a fevereiro de 67, Estava com oito anos de idade chamada “Xeique de Agadir”, apresentando como protagonistas Henrique Martins e Yoná Magalhães. Bom, acho que é isso mesmo. Depois vieram outras tantas, como “Antônio Maria”, “O Cigano”, “Saramandaia”, “O Bem Amado”, “Gabriela, Cravo e Canela”, “Selva de Pedra”, “Irmãos Coragem”, “Pedregal” (que inclusive deu origem ao apelido do bairro República, que antes era Pedregal) etc.

Pois bem, mas as novelas, como toda obra de ficção, tem as suas fantasias e suas versões exageradas. Mas duas coisas me incomodam em telenovelas e a primeira delas é o mau exemplo. Não para jovens ou adultos, mas para as crianças e adolescentes. Na tela dá a entender que tudo pode e um dos principais temas tem a ver com o adultério. Trair, coçar e gozar é tão simples como mudar de roupa. Nas novelas, o que há de cornos mansos é brincadeira. Vejam na novela atual, por exemplo, “Passione”. Ali o Totó come a Clara que dá para o bandido que come a mulher virtual que ama o mocinho que ama a boazinha que dava para o pedófilo que agora volta a comer a “Marisa” que amava o Totó… Puta merda, mas quantos bons exemplos para um lar. Ou seja, a sociedade, aos olhos de uma telenovela, pode tudo. E, para a criança e o adolescente, isso é normal. Ou seja, os pais podem de vez em quando pular uma cerquinha. Sem querer ser moralista, mas é um puta de um mau exemplo.

Mas, saindo do adultério, as novelas trazem uma chatice e sempre só pegam a banda podre, ou melhor, a banda rica. Na noite dessa segunda-feira mesmo, assistindo à novela “TITITI” (que começou muito bem e agora está de ruim a pior), a família começa a almoçar e tem início uma discussão. A empregada doméstica ali, servindo os pratos. De repente, saem pai, mãe e filhos. Todos – cada qual na sua hora – com aquela frase típica tupiniquim: – desculpem, mas perdi o apetite. Quem perde o apetite porque está discutindo ou ficou com raiva? Ninguém. Os diretores deveriam mudar esse enredo. Tipo assim: – deu vontade de dar uma cagada. Seria melhor. Ou ainda: – vai começar o Vídeo Show.

Por causa dessas e outras, assistir novela muitas vezes é um porre, mas é bom.

Comentários sobre Dois anos de Blog

30 de novembro de 2010

“Parabéns pelo aniversario do Blog, Marcelo.
Espero que ele continue por muitos anos ainda”.

Geraldo Elias – Boston (EUA)

“Olá Melo,
Parabéns pelos 2 anos de Blog, ou seja, de muita informação e formação a muitos que o seguem nas leituras constantes e, que suas verdadeiras palavras apresentadas em seus textos e na prosa cotidiana possam ser cada dia mais fundamentais ao processo de engrandecimento social e verdades constantes. Viva a mente brilhante essa jamais se calará! Viva as rememorações! Viva você!

Um forte abraço”!

Adalberto Vinicius – João Monlevade (blog: encontrosemomentos.blogspot.com)

“Marcelo,

Não poderia deixar de parabenizá-lo pelos 02 anos do Blog. E que esta conquista sólida e transparente continua a nos informar por muitos e muitos.

Abraços”,

Pedro Paulo Costa – João Monlevade

“Parabéns meu amigo Marcelo. Que esses dois anos sejam apenas os primeiros de muitos que ainda virão, e, se Deus quiser estaremos todos aqui, para te aplaudir.

Continue assim, lutando e brigando quando necessário para que a história de nossa cidade não seja apagada.

Abraços de sua leitora assídua”,

Selma Taveira Drumond – Coronel Fabriciano

Leitores comentam sobre os dois anos do Blog

29 de novembro de 2010

“Parabéns meu amigo Marcelo pelo 2º aniversário do teu magnifico Blog… o reconhecimento que tem sido feito por parte de quem te visita é merecido pela excelente pessoa que és… os teus posts são sempre de grande interesse, tens uma maneira muito peculiar de escrever, como sabes adoro ler-te! Parabéns também pela tua maneira de ser e estar na vida, pelo carinho que ofereces a todos os que te visitam!

Um abraço enorme e muitas felicidades. Espero que mantenhas este teu cantinho virtual por muitos anos e que possamos sempre manter este equilíbrio de amizade”.

Regina Souza – João Monlevade

“Parabéns, Marcelo, pelos 2 anos de Blog. Blogar não é fácil. Requer disponibilidade e inspiração, e muitas vezes reflexão, para não cair na mesmice e choradeira.

O seu blog é diferente, e fonte de visita constante, porque recupera parte daquilo que muitos jamais tiveram a oportunidade de conhecer, e algumas gerações futuras talvez não conheçam. Resgatar as pessoas, gente que construiu a cidade, mais que a arquitetura, é fundamental.

Tudo bem que os lugares foram embora, mas a lembrança das pessoas é mais importante que o espaço físico que elas ocuparam, e isto você tem feito com maestria.
Grande abraço”!

J. Henriques – (Do Blog ugly DARKSide)

“Olá Melo, saudações atleticanas.

Felicitações pela marca alcançada no blog. Você pode nem saber, mas, com certeza, contribui para que o monlevadense que gosta de saber das coisas fique bem informado acerca do que rola nos bastidores da notícia. Além disso, incentiva uns tantos a mergulharem na onda da escrita e da leitura, numa viagem infinda e cheia de possibilidades as mais variadas. Sei que esse alcance deve ser comemorado e bebemorado, e muito, pois só os melhores são capazes de chegar lá.

Um forte abraço e sinceros parabéns”.

Professor Dias
(Do Blog emdiacomdias.blogspot.com)