Archive for julho \28\UTC 2011

O insuportável do insustentável trânsito de cada dia

28 de julho de 2011

Não é mais possível circular de carro pelo bairro Carneirinhos. Isso é definitivamente insuportável. Afinal, não estou em nenhuma metrópole, mas apenas numa cidade do interior com pouco mais de 70 mil habitantes. É preciso uma medida radical e que fodam-se os interesses de uma meia dúzia de pessoas que acham que mandam em nosso município. Tem de nascer um prefeito que irá encarar aqueles que se julgam “proprietários” das avenidas Getúlio Vargas e Wilson Alvarenga e proibir o estacionamento na W.A, para quem está indo em direção ao Hiper. Tem de instalar estacionamento 45 graus ao longo da G.V., entre a praça Domingos Silvério até a proximidade do antigo cinema. E terá de implantar mão única na avenida Getúlio Vargas, no bairro Santa Bárbara,. Já que a avenida Gentil Bicalho foi construída para esse propósito, ou seja, desafogar o trânsito na região. Fica o registro.

E, além de tudo, os poderes constituídos terão de obrigar a grande maioria dos motoristas de Monlevade a passar por novo curso der reciclagem, para que esses condutores aprendam a utilizar a seta. Afinal, é um absurdo a forma como esses cabeças de bagre, como diria o saudoso Mestre Kafunga, conduzem seus veículos, manobrando e fazendo conversões sem usarem a tal seta, que não é nenhum acessório, mas sim uma ferramenta obrigatória para todos os carros.

Recesso

27 de julho de 2011

Estou meio ausente esta semana por questões de descanso mesmo. Curtindo os filhos nesse período de recesso escolar. Portanto, desculpem os amigos e leitores, mas firmeza mesmo, se Deus quiser, só a partir da próxima semana. E obrigado ao novo leitor, o Francisco Fernando, da cidade de Ipatinga. É um prazer ter você como um novo leitor. Abraços a todos que nos acompanham.

Vale a pena dar uma parada no “Terra de Minas”

27 de julho de 2011

]Juninho entre o pai e a “patroa”, Gigi

Apesar de muitos pontos, a nossa cidade ainda deve muito quando o verbo é “butecar”. Quantidade há por demais, mas qualidade é algo ainda raro em nossa terrinha. Tanto que o bom atendimento por aqui não tem nada de excelência. E muitos não contam sequer com um tira-gosto de qualidade.
E, sem querer aqui fazer Marketing por fazer, na semana passada fui convidado pelos amigos Mário “Paciência” e “Miguel Moreira, o “Miguelim”, a visitar o Bar e Restaurante “Terra de Minas”, localizado na avenida Gentil Bicalho, quase em frente ao Hiper Mercado. De propriedade do Juninho (filho de Edmar e da professora Batista), o local é muito agradável e com uma decoração pra lá das Gerais. Sem contar que o moço conhece tudo de culinária e o tira-gosto é a cara do verbo butecar. E lá também pode se levar um violão (faz parte da decoração) e cantar uma boa música, sem contar a qualidade do som mecânico, onde só se ouve samba de raiz e a excelência da MPB.
Aberta a casa para o almoço e, a partir das sete da noite, abrem-se as cortinas para o buteco. E de 1ª, nós garantimos.

Encontro de Amigos na noite de ontem

Um lugar agradável e com uma decoração pra lá de Minas

Clique nas Imagens

(Fotos: Marcelo Melo)

381: Bastou a morte de alguém mais famoso para artistas se manifestarem

27 de julho de 2011

Primeiramente quero parabenizar ao presidente da Fundação Casa de Cultura de João Monlevade, Marcos Martino, pela brilhante iniciativa de propor ao cantor e médico Aggeu Marques uma manifestação de artistas mineiros pela duplicação da BR-381, entre Belo Horizonte a Governador Valadares, mas principalmente no trecho entre BH a Monlevade, onde ocorre o maior número de acidentes. E depois ao próprio Aggeu por ter imediatamente levantado a bandeira e o movimento já está fechado, devendo ocorrer em meados do mês de agosto. E a sua postura foi imediatista e já estão acertados shows com participação da Banda 14-Bis, Paulinho Pedra Azul, Maurício Gasperini, Toninho Horta, Márcio Greyck, Bauxita, Ana Cristina, Sá e Guarabyra, Telo Borges, Fio de Navalha e o próprio Aggeu Marques.

Pois é, mas precisou de primeiro morrer uma pessoa um pouco mais famosa para que artistas mineiros se manifestassem. E tudo em razão do acidente que envolveu o ônibus do 14.Bis, no último dia 17, quando o produtor musical da banda faleceu. O acidente ocorreu no mesmo dia em que também foi vítima fatal da fatídica 381 a professora e diretora do Cesp, em João Monlevade, Geralda Maria Nunes Machado. Infelizmente, ações desse tipo só chegam a essa altura do campeonato, mas mesmo assim são bem-vindas.

E, a partir dessa manifestação cultural que também exige com urgência urgentíssima a duplicação da BR-381, que cada vez mais artistas e formadores de opinião, com voz mais ativa dentro dessa estrutura quase inquebrável – entre governos e governantes corruptos -, possam criar atalhos para que haja menos sofrimento entre tantas famílias ceifadas prematuramente na “Rodovia da Morte”. Que os artistas permaneçam de plantão.

Mas também é preciso que mude radicalmente a nossa legislação de trânsito, com penas que realmente possam intimidar esses maus motoristas – irresponsáveis e assassinos -, que continuam livres nas estradas para cometer, mais e mais, a carnificina da 381.

Contrato de dez anos para uso de nova área para eventos

27 de julho de 2011

O comerciante Teotônio Cotta (Supermercado Comil) e a Prefeitura Municipal fecharam um contrato por um período de dez anos para uso de propriedade do empreendedor – localizado na avenida JK, bairro Dona Guiguita (atrás do Hiper Comercial Monlevade), para realização de eventos. Com uma área de 15 mil metros quadrados, a próxima edição da Cavalgada de João Monlevade – a se realizar entre os dias 18 a 21 de agosto – já irá ocorrer no local.

Na tarde de ontem, 26, o prefeito Gustavo Prandini de Assis concedeu uma coletiva à imprensa falando da nova área para realização de eventos na cidade, que estará à disposição da Prefeitura por dez anos. Durante esse período todas as cavalgadas poderão ser realizadas no terreno, dependendo obviamente da vontade dos futuros prefeitos. De qualquer forma, foi um ganho e uma ação positiva por parte do chefe do Executivo, pelo fato de Monlevade não contar com uma área propícia para eventos desse tipo, tanto que as últimas festas promovidas pelo poder público tiveram de ocorrer no estádio Louis Ensch, inclusive a cavalgada do ano passado. Dessa forma, um acordo que certamente agradará ao público.

Localizado praticamente no centro, o terreno é considerado de preservação ambiental e está proibido qualquer tipo de edificação na área. Tanto que todo o local receberá brita para maior conforto e mobilidade dos freqüentadores durante a cavalgada, já também não é permitida a construção de calçamento.

O prefeito Gustavo Prandini de Assis durante coletiva concedida na nova área de cavalgadas, ao lado do proprietário da área, comerciante Teotônio Cotta, e organizadores do evento

A era do Vinil

23 de julho de 2011

Retornei com tudo à era do vinil. Isto porque fui presenteado no dia de ontem com um aparelho 3 X 1 (toca-discos, rádio e toca-fitas) e com direito à instalação de CD. Em excelente estado de conservação – mesmo com mais de três décadas de história -, o aparelho chegou para que eu possa voltar a ouvir os meus LP´s, cuja magia da sonorização supera qualquer CD. De coração agradeço à amiga Simone (esposa do Paulo Roberto), pelo belo presente. E à sua mãe, que era a verdadeira proprietária do 3 X 1.

Pois é, e nesta manhã de sábado já ouvir obras primas da MPB, entre as quais discos da “Banda de Pau e Corda”, Tayguara, o LP “Cantoria I” (Geraldo Azevedo, Xangai, Elomar e Vital Farias) e o disco Martinho da Vila, datado de 1983. E viva a era do vinil.

22 de julho de 2011

Frase para se começar bem o final de semana

22 de julho de 2011

“Há duas palavras fundamentais na vida: Beleza e Paciência. Se der tudo certo, Beleza. Se não der, Paciência”.

Trevo do Sion; obra tem de ser prioridade

22 de julho de 2011

Toda vez que deixo a 381 para entrar em João Monlevade pelo trevo que dá acesso ao Sion, pela avenida Alberto Lima, tenho medo. Cada dia mais é maior o fluxo de veículos que trafega pela rodovia e fica mais difícil fazer a travessia. O Dnit e o governo municipal têm de chegar a um acordo imediatamente, antes que alguma tragédia ocorra no local. A mesma obra que foi executada no trevo do Cruzeiro Celeste, com acesso para a avenida Armando Fajardo, tem de ser feita ali. É caso de urgência urgentíssima.

Atravessar a 381 pelo Sion é um risco constante

Greve dos professores: impasse parece permanente

22 de julho de 2011

Parece ser permanente a greve dos professores da rede municipal de ensino. Há mais de 40 dias de braços cruzados, com total prejuízo aos estudantes e seus familiares, a classe continua batendo na mesma tecla, ou seja, que não reivindica aumento salarial, mas sim o que determina a lei. Isso por parte da grande maioria dos profissionais da rede, envolvendo os níveis P-5 e P-6, que representam cerca de 80% de toda a categoria que atua em Monlevade. A ultima proposta, passando as categorias P-1, P-2 e P-3 a receberem piso salarial de R$ 1.604,00 por 40 horas/aulas semanais e um reajuste de 6,31% para os demais níveis, apresentada esta semana, também foi reprovada pelos grevistas.

Segundo informou o vice-prefeito Wilson Bastieri, além de estar cumprindo a lei, a administração mantém todos os benefícios, como extra-classe, pó de giz e anuênio. E fez um desafio. Conforme declarou, “de todos os 852 municípios mineiros, somente aqui em Monlevade e em outras duas cidades do Estado houve uma proposta como esta. Ou seja, estamos oferecendo o melhor acordo”. Por sua vez, o prefeito Gustavo Prandini de Assis declarou que tal proposta é o limite e que, dentro do fluxo de caixa, é impossível oferecer qualquer outro índice de aumento salarial.

Por outro lado, em entrevista que concedeu ontem à Rádio Cultura, uma das lideranças do movimento, Jésus Reis, voltou a afirmar que “estamos apenas reivindicando ao Executivo que cumpra a lei”. Com isso, permanece o impasse e perde toda a comunidade estudantil da rede municipal.