Archive for agosto \31\UTC 2011

Monlevade deverá permanecer com 10 vereadores

31 de agosto de 2011

Um Projeto de Resolução será votado na reunião de hoje na Câmara Municipal de João Monlevade, autorizando nova votação para o Projeto que prevê o número de cadeiras para o Poder Legislativo,a partir do próximo mandato. No mês passado, os edis votaram favoráveis ao aumento no número de vereadores a partir de 2013, passando de 10 para 15 cadeiras. No entanto, a partir de uma proposta do vereador Belmar Diniz (PT), já apoiada por maioria da edilidade, o Legislativo resolveu voltar atrás e pretende manter 10 representantes na Casa.

Caso o Projeto de Resolução seja aprovado nessa quarta-feira, o martelo será batido provavelmente na reunião da próxima semana para que sejam eleitos 10 vereadores nas eleições de 2012.

O caso já está gerando polêmica e, de acordo com informações de pessoas ligadas ao PSDB, serão exatamente os tucanos os mais prejudicados com a resolução. Isso porque o partido, além de ter como representantes na Câmara Municipal os edis Sinval Jacinto e Guilherme Nasser, há outros fortes nomes para concorrer ao pleito do próximo ano ao cargo proporcional, entre eles os ex-vereadores Zé Lascado e Luiz do Açougue. Dessa forma, com a manutenção no número de vereadores a partir do próximo mandato, a disputa deverá ser acirrada dentro a legenda.

Anúncios

Amaral deixa o DAE

31 de agosto de 2011

Amaral sai do DAE
agosto 31, 2011 por blogdoleunam
O engenheiro Geraldo Vieira do Amaral, diretor do Departamento Municipal de Águas e Esgotos – DAE -, é o próximo nome a ser exonerado do grupo do 1º escalão. Ele deixará o cargo e seu substituto será Flávio Pinto. De acordo com fontes ligadas à Prefeitura, o novo diretor do DAE é ligado à área de meio ambiente e sua família é do bairro Vila Tanque.

Geraldo Amaral não será mais diretor do DAE

Gerson Menezes, a você que nunca renegou Monlevade

31 de agosto de 2011

Há algum tempo já penso em escrever para o Gerson Menezes, ex-gerente da Usina da ArcelorMittal em Monlevade. Uma carta pública. Mas não o fiz anteriormente porque ele ainda encontrava-se na ativa. Mas agora, que já se aposentou, estou mais à vontade para lhe dirigir algumas palavras. E o homem nada perde quando é sincero e sem interesses por trás de suas vestes. E posso afirmar de cadeira, sem nunca ter comparecido à residência do Gerson em Monlevade e de nunca ter tido com ele uma relação mais próxima, ele sempre foi o cara! De um carisma incontestável e sempre tratando o operário com respeito – que o digam aqueles homens que trabalharam com ele diretamente, antes e depois de se tornar gerente da Usina. Era uma figura ímpar. Pode-se dizer que, com muito orgulho, integrava a “República dos Monlevadenses”.

Mas, caro Gerson Menezes, o povo de Monlevade muito deve à Belgo-Mineira. E vice-versa. A empresa também deve muito à cidade e aos seus operários. Meu pai, por exemplo, assim como outros tantos milhares de ex-metalúrgicos desta Siderurgia, sempre tiveram uma paixão pela Belgo. Não sabiam viver sem ela e muitos deles entraram em depressão e morreram logo depois de terem se aposentado, em razão dessa ligação, como irmãos siameses. E, entre um cenário e outro, entre uma leva e outra, cada qual fez a sua parte. E você, Gerson Menezes, era diferenciado como o “chefe-mor”. Teve sensibilidade e de verdade, gostava de nossa cidade. Não era apenas mais um e que via o nosso município apenas como o porto seguro para a sustentabilidade financeira sua e da família. Você aprendeu a gostar, a amar João Monlevade. Das nem tão muitas vezes em que conversamos e sempre rapidamente, era claro e nobre o seu sentimento por esta terra. E se tornou maior ainda no dia que, durante um bate-papo comigo na entrada da Fazenda, disse que “Marcelo, não saio de Monlevade sem antes revitalizar o prédio do Cassino”. Era um compromisso seu, assim como você ficava frustrado quando falava na duplicação e ela não saia do papel. E você, Gerson, junto aos seus funcionários, conseguiram revitalizar o Cassino e a duplicação está aí. E, entre a diretoria do Grupo da ArcelorMittal, tenho absoluta certeza de que a sua intervenção foi fundamental para que a duplicação se tornasse uma realidade. E fosse feita em Monlevade, senão estaria sendo hoje executada na Usina de Juiz de Fora.

Pois é, mas você se aposentou e deixou imortalizada a sua obra. E o seu nome, Gerson Menezes, sempre será lembrado por aquelas pessoas que amam João Monlevade. E agora, quando a Usina completa seu 76º aniversário de fundação, temos a certeza de que a sua parte foi feita. Porque você, além de grande profissional, jamais renegou esta terra que lhe acolheu. Ao contrário de outros, que aqui apenas ganharam o seu dinheiro e não deixaram marcas e nem saudade. As minhas considerações e respeito.

Saudações atleticanas!

Morre o irreverente e boêmio Wilson “Puaia”

30 de agosto de 2011

Faleceu na madrugada dessa terça-feira, 30, num Hospital de Belo Horizonte, o grande Wilson “Puaia”, uma das pessoas mais irreverentes e espirituosas que já conheci nesta vida. Ele foi internado no último sábado no Hospital Margarida, quando teve de ser transferido para BH, mas não aguentou. Puaia tinha 65 anos de idade.

Falar no cara é difícil, tamanha a sua complexidade e cumplicidade com as pessoas. Boêmio que sempre carregava o seu violão dentro daquele Opala preto, apelidado de “Urubu”, e de uns tempos pra cá em sua camionete. E saia em via-sacra pelos bares da Vila, entre o Vica, no Belmonte, ao Areia Preta. Passava primeiro pelo Vital. Só não beritava em seu próprio Buteco, que fica de frente para a Funcec, na Vila Tanque, onde também residia.

Desde já, a nossa antecipada saudade pela perda dessa grande figura, uma “figuraça” e que tinha o prazer de fazer amigos e de contar causos. Levava a vida como a amava. O nosso último encontro se deu no “Sabor da Vila”, cerca de um mês atrás, onde ele “rezava” o “Pai Nosso” diferenciado que, segundo ele, teria sido ensinado pelo saudoso Padre Hildebrando de Freitas, o “Juca”, seu grande amigo. Agora, certamente, haverá um encontro no céu. E com muita cachaça e alegria, para animar o “Pedroca”. A festa vai rolar pelo lado de riba, com certeza.

Nos anos 1970 Monlevade era a cidade dos carnavais de salão. E nesta foto, feita no Ideal Clube, uma animada noite carnavalesca e três figuras que fizeram e fazem parte de nosso folclore boêmio e festeiro. Da esquerda para a direita: Pinta, Puaia (ao centro com um dos braços abertos acompanhando a música) e o saudoso Padre Juca (de chapéu e óculos). Ao Puaia, a nossa saudade antecipada

Frase da Semana

30 de agosto de 2011

“Bondinho de Santa Tereza tomba e mata cinco no Rio. No lugar de um parafuso, colocaram um pedaço de arame no sistema de freio. Tamanha gambiarra. É o Rio de Janeiro preparado para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016”.

Esta é do jornalista global, Alexandre Garcia, durante comentário matinal nessa segunda-feira, 29, ao “Jornal da Itatiaia”.

PSDB na mira de Moreira ou de Teófilo?

30 de agosto de 2011

O PSDB se reuniu nesse final de semana para traçar um plano de estratégica política visando o pleito do próximo ano. Também para apresentar o seu mais novo e ilustre filiado em nível municipal, o ex-prefeito Carlos Moreira. Afinal, caso consiga reverter o quadro junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais e poder se candidatar nas eleições de 2012, será uma pedra no sapato dos demais candidatos. E muito difícil de ser batido. Afinal, está em campanha desde que retornou à Rádio Cultura, onde cumpre muito mais o papel de pré-candidato do que de radialista. E ainda por cima tem a seu favor oito anos de mandato. Quanto a isso ninguém pode negar, nem mesmo os seus opositores fariam esse tipo de aposta. Mas, e caso ele fique mesmo inelegível, qual será o Plano B dos tucanos?

Uma das soluções seria apoiar o Dr. Railton. Será? Acho muito difícil, porque o PSDB deseja lançar sua candidatura própria. Railton ainda tem tempo de deixar o PDT, mas acho muito improvável tal decisão. Quem aparece na capa? Teófilo Torres, filho do quase ex-deputado Mauri Torres, detentor de seis mandatos consecutivos para a ALMG. Ou alguém duvida? Vamos aguardar porque, caso Moreira fique inelegível, os eleitores terão várias opções ao cargo majoritário para o próximo ano.

Demagogia para manter 10 vereadores. Tomara que mantenha

30 de agosto de 2011

Continua a polêmica em torno do número de vereadores que irá compor o Poder Legislativo de João Monlevade a partir de janeiro de 2013. Isso depois que o edil petista Belmar Diniz resolveu “mudar de idéia” – após a reunião ordinária de quarta-feira passada – e tenta convencer seus pares a voltar atrás do projeto que já votaram, aumento em cinco o número de vereadores para o próximo mandato. Ou seja, há um zum-zum-zum de que tentam combinar uma estratégia para que a votação passada seja cancelada e o projeto retorne ao zero. Daí será tentado um acordo para que o eleitorado monlevadense continue elegendo 10 vereadores, pelo menos nas eleições do próximo ano.

Demagogia? Acredito que sim. Menos chances de os novos candidatos a conseguir uma cadeira no Legislativo? Não acredito. Mesmo porque, em nível de credibilidade, os nossos vereadores não estão com essa bola toda. Independente de serem 10 ou 15 vagas, aposto em uma renovação pelo menos em torno de 50% nas cadeiras. É esperar para ver. E, pelo andar da carruagem, bons nomes surgem como boas propostas para 2012.

Portanto, torço particularmente de que os nossos edis, independente dessa proposta demagógica, consigam reverter o quadro e somente 10 vereadores sejam eleitos. O bom disso é que haverá uma reciclagem entre os candidatos e aí muitos deles irão apear do cavalo antes da reta final.

PM intensifica Blitz em Monlevade

30 de agosto de 2011

Quero parabenizar o trabalho do Comando da Polícia Militar em Monlevade por estar intensificando as Blitz na cidade. Na avenida Wilson Alvarenga então, região central de Monlevade, estão sendo quase que diárias. E o alvo principal parece ser os motociclistas. Mas, aproveitando a deixa, a comunidade agradeceria muito se essas Blitz da PM também mudassem um pouco de endereço e seguissem para a região do alto do Cruzeiro Celeste. Bandidos têm em toda parte, portanto um rodízio seria interessante.

Gerson Menezes, o homem que não renegou Monlevade

30 de agosto de 2011

Na edição do “Morro do Geo” deste mês, quando a Usina de Monlevade completa 76 anos de sua instalação, escrevi um texto onde presto uma simples homenagem a um ex-gerente, engenheiro Gerson Menezes, pela sua forma não apenas de como dirigiu a Unidade local, mas também pela simplicidade e naturalidade por gostar de João Monlevade. Ele não renegou a cidade e integrava, com muito orgulho, a “República dos Monlevadenses”, a Unidade diferenciada em vários aspectos. Ao contrário de outros. E foi graças à sua interferência também que a duplicação ocorre em João Monlevade. Do contrário, talvez tivesse partido para a Usina de Juiz de Fora, por exemplo. Assim como deixou a sua marca para a nossa história, com a revitalização do prédio do Cassino e do resgate do memorial desde os tempos das Forjas Catalãs. Ao menos sobrou uma parte dessa história e Gerson Menezes foi fundamental nesse processo.

Matéria completa no “Morro do Geo”, nas bancas do Zé Maria (praça Sete), da praça do Lindinho, na Padaria “Pão com Manteiga” e em outros pontos de distribuição.

Volto amanhã com muita coisa

29 de agosto de 2011

Fui “casar” uma sobrinha no sábado, em BH, a Nathália, com o Rafael. Ela é filha de Jofre Batista e da minha irmã Marília (a Preta), que nos deixou em dezembro de 2007, infelizmente. Mas certamente se fez presente da forma que Deus permite. E, graças a Ele, uma linda reunião entre família e amigos. Valeu mesmo e por isso a falta de hoje.

Retorno amanhã, com algumas coisas e outras coisas. E, falando em amanhã, o “Morro do Geo” já estará nas bancas.

Inté!