Archive for março \31\UTC 2012

Bastieri telefona e faz desabafo

31 de março de 2012

Após entrar em contato telefônico comigo minutos atrás, o vice-prefeito Wilson Bastieri fez um desabafo. Segundo ele, o ex-secretário Gentil Bicalho, depois de ter sido traído pelo Dr. Laércio Ribeiro – nas eleições municipais de 2008 -, quando o retirou de sua chapa e exigiu o nome de Djalma Bastos; e em 2008, quando perdeu o PDT para o grupo do Dr. Railton Franklin, prova que foi um “ótimo aluno. Agora ele nos trai desse jeito”

Bastieri foi ainda mais fundo em seu desabafo, lembrando que, durante o início da campanha eleitoral de 2008, Gentil Bicalho teria ficado bastante deprimido já que perdera até a chance de sair candidato a vereador e “fomos nós que o levantamos no momento que precisava. E tínhamos compromisso de dar a ele a Secretaria de Esportes e cumprimos o trato. E agora ele cospe no prato que comeu”.

Gentil come e cospe no prato que comeu durante 39 meses

30 de março de 2012

Hoje circulou nos jornais “A Notícia” e “Bom Dia”, uma entrevista com o ex-secretário municipal de Esportes, Gentil Lucas Moreira Bicalho, tecendo duras críticas contra a administração municipal, afirmando categoricamente que “o prefeito Prandini faz um governo muito fraco”. O ex-secretário apenas usou do direito de se expressar, nada mais. Portanto, sem nenhum problema ele ter expressado a sua opinião.

Mas, esperem! Isso se Gentil Bicalho não ocupasse, até duas semanas atrás, um cargo de 1º escalão do governo do prefeito Gustavo Prandini de Assis. E que, nesse período em que foi titular na pasta de Esportes – exatos 39 meses -, ele não tivesse recebido proventos financeiros na ordem de 200 mil reais, levando-se em conta que o salário líquido de um secretário hoje, em Monlevade, está em torno de R$ 5.200,00, mensalmente.

Fosse a política nos tempos de nossos pais, diriam que “isto é falta de vergonha na cara. O sujeito mama nas tetas quase três anos e meio, ocupando cargo de confiança do prefeito e depois dá uma banana. Nada mais feio do que a ingratidão e cuspir no prato que comeu”. Algum exagero nesta frase? Creio que não. Afinal, tivesse mesmo que roer a corda e partir para uma candidatura própria – como é o desejo do também ex-comerciante, ex-vereador e ex-vice-prefeito -, fizesse isso no ano passado, tão logo deu início à sua queda de braços com o seu patrão. Seria mais honesto. Teria aberto mão de seu salário e aí, sim, teria o respeito de todos nós, inclusive dos petistas. E bobo foi Gustavo Prandini em ter acreditado em sua fidelidade. Afinal, Gentil Bicalho já deu provas, num passado bem próximo, de que a sua ideologia é fruto de seu narcisismo exacerbado.

Portanto, cai o pano e o “artista” tira sua máscara. E, como diria um amigo: O homem pode até roubar, talvez para matar a fome de seu filho. E pode até matar, em defesa própria. Mas ser ingrato, jamais”. E acrescento: nem na política.

Para fechar o pano, o nome do ex-secretário será lançado hoje como o pré-candidato do PT nas eleições municipais deste ano, porque o prefeito Prandini já tirou o time de campo. Não tentará mais uma acordo e buscará novas alianças. Mas, uma coisa é certa: o Partido dos Trabalhadores, acredito eu, sairá dividido. Afinal, o vice-prefeito Wilson Bastieri, os secretários Luiz Pena e Ivo José e outros militantes petistas que ocupam cargos de confiança permanecerão no governo até o final do mandato.

Saída de Luiz Cláudio e Tadeu: Pesquisa encomendada revolta até padres

30 de março de 2012

Desde o dia em que o assessor de governo e o chefe de Gabinete deixaram o governo do prefeito Gustavo Prandini de Assis, algo me deixou intrigado. Afinal, Tadeu Figueiredo chegou cheio de pompa, com aval do chefe do Executivo, para melhorar a imagem do poder. E, por outro lado, Luiz Cláudio do Patrocínio liderava o grupo que brigava pela manutenção da aliança entre o PV e o PT. A primeira informação era de que Patrocínio sairia candidato a vereador e Tadeu teria de retorna ao seu trabalho na Unimed, cuja licença teria vencido. Tudo bem.

Mas, no apagar das luzes dessa quinta-feira, depois de deixar o “Emporium”, onde Rômulo Ras se apresentou, e de fechar a noite pegando aquele “sanduba” com a saideira no “Trailer do Bigode”, um telefonema me diz sobre uma desavença entre alguns padres que apoiaram a candidatura de Gustavo Prandini em 2008, com o então chefe de Gabinete. Um fato estranho, mas real, segundo a fonte.

De acordo com as informações, Tadeu e Luiz Cláudio teriam encomendando uma pesquisa de opinião pública, onde o governo apareceu com um índice muito baixo de aprovação. Só que o fato – que até então era segredo para o chefe do Executivo – vazou e Prandini foi então tirar satisfação com seus até então “homens de confiança”. Como justificativa, foi informado ao prefeito que teriam sido alguns padres que fizeram o pedido para que a pesquisa fosse realizada e, dependendo do resultado, outro nome teria de ser indicado para tentar a sucessão nas eleições deste ano. Gustavo procurou então alguns dos líderes religiosos citado, quando o assunto implodiu. Revoltados com a informação dada por Luiz Cláudio do Patrocínio, eles acabaram informando que tudo partiu de dentro do próprio gabinete com aval dos seus assessores. Ou seja, plagiando o filme – só que no plural -“Dormindo com os Inimigos”.

Pois é, mas sendo mesmo esta fonte confiável – e acredito que sim -, o prefeito Gustavo Prandini de Assis sempre esteve mais coberto de inimigos do que de aliados.

“Fundo de Quintal” nos 48 anos de Monlevade

30 de março de 2012

ia 28 de abril, nas comemorações do aniversário de Monlevade, presença do grupo “Fundo de Quintal”, o melhor do samba de raiz..

O local ainda indefinido, mas a certeza é que não será no estádio Louis Ensch.

Leitora comenta – “Anexo da Câmara e Dinheiro público no ralo”

30 de março de 2012

“Infelizmente, no Brasil, as funções legislativas acabam sendo atrativas por causa da remuneração e, com isso, muitos dos que tentam esses cargos somente o fazem por causa de motivos financeiros. Se, por exemplo, um cargo de vereador somente fosse “remunerado” com uma ajuda de custo de salário mínimo, acredito que, sem o atrativo financeiro, somente procurariam disputar as eleições pessoas comprometidas com a sociedade e/ou alguma causa.

Absurdo? Basta verificar entidades de classe respeitadas (CRM, CREA, etc.) que funcionam, e muito bem, com cargos honoríficos (sem remuneração).

Acho que, enquanto não alterarmos esta questão financeira (remuneração) não temos muito o que fazer. Infelizmente, acho que somente com um projeto de lei de iniciativa popular feito segundo normas constitucionais pode colocar em pauta uma questão como essa. O problema: quem em nossa sociedade se mobilizaria para viabilizar a empreitada? Eu acredito nisso e poderia ajudar, porém esse deve ser um trabalho de um grupo”.

Keliane Santana – João Monlevade

Anexo da Câmara e o dinheiro público no ralo

30 de março de 2012

Fico observando como alguns políticos fazem questão de andar na contra mão da história e desrespeitar o povo. Mesmo que nós, povo, sejamos soberanos no momento do voto, ainda andamos atrelados a esse tipo de político, que faz do dinheiro público a casa da “Mãe Joana”.

E não carecemos de ir muito longe para encontrar essa prática.
E que se oficializa agora, depois de ter recebido – via e-mail – o convite que segue abaixo:

CÂMARA MUNICIPAL DE JOÃO MONLEVADE
Ofício nº 53/Secretaria Em 28 de março de 2012.
Prezado (a) Senhor (a):
O Presidente da Câmara Municipal de João Monlevade, vereador Pastor Carlinhos, convida Vossa Senhoria e família para a Solenidade para início das obras de construção do Anexo Parlamentar e reforma do prédio da Câmara Municipal, dia 2 de abril (segunda-feira), às 17 horas na Sede da Câmara Municipal.
Desde já agradecemos a sua presença.

Atenciosamente,

PASTOR CARLINHOS
Presidente da Câmara Municipal

A nossa Soberania está no Voto

30 de março de 2012

Está aí o “soberano” Pastor Carlinhos, presidente do Legislativo. Vai mesmo gastar dinheiro público com a construção de um anexo ao prédio da Câmara Municipal e ainda encaminha convite à imprensa. A prova maior do desrespeito à grande maioria dos monlevadenses, totalmente contrária a essa obra inútil,

Outubro está próximo. A nossa soberania está no voto.

Santa soberba!

29 de março de 2012

Como diz o ditado, humildade é bom e não faz mal a ninguém. E hoje, ao abrir o Blog, o primeiro comentário que aparece: “esqueceu-se de colocar meu nome que, como presidente do Social, fiz em apenas 2 anos o que os demais diretores não fizeram em 20”. O comentário foi sobre um texto intitulado “Uma análise para o café da manhã”, postado ontem em meu Blog e que falava de nomes que podem sair candidatos a prefeito do município, nas eleições deste ano.

Falo de um comentário assinado pelo presidente do Social Clube (cujo nome prefiro omitir para não fazer com que sua arrogância ultrapasse os limites), primeiro a ser fundado em João Monlevade, pela Belgo-Mineira, no ano de 1946. E por onde passaram tantas pessoas sérias e que ali deixaram suas obras e suas histórias. Mas, para esse cara, nenhum deles, ao menos nos últimos 20 anos, nada fizeram.

Pelos anos que frequentei o Clube, como filho de sócio e depois como associados, a minha indignação diante de tanta soberba.

Com a palavra os ex-presidentes do Social Clube.

Leitora comenta sobre Residencial “Green Village”

29 de março de 2012

“Caro Marcelo Melo,

Gostaria de registrar uma reflexão sobre o Condomínio de LUxo que será erguido na Vila Tanque. Além de ser uma área de preservação permanente, toda ela foi tombada pela Lei Orgânica de João Monlevade. Dê uma olhada no artigo 170 inciso VII -, ou seja, a mata do Hospital Margaria, do Clube Embaúbas e da Avenida Aeroporto.

Para mim, isso é caso para o Ministério Público.

Abraços”,

Giovana Gatti – MOnlevadense que reside em Belo Horioznte

Hoje, no “Empórium”: Música e Prosa

29 de março de 2012

Hoje tem Rômulo Ras, a partir de 8 e meia da noite, no Bar “Empórium”, ali na Avenida Castelo Branco. Uma quinta-feira diferente de muito bate-papo e MPB de qualidade.

Também estarei presente, quando falaremos de assuntos variados ligados à música, e também da história de alguns bambas do samba. Contamos com você lá, hoje, no Empórium”.

Aqui uma foto de 2005, quando eu e o jornalista Wir Caetano demos início a um projeto interessante no saudoso “Empórium”, localizado na praça do Lindinho, quando artistas da terra eram convidados para uma prosa e apresentavam algumas músicas. O barzinho tinha um estilo maravilhoso e era administrado pela Rosália.

Nesta noite eu entrevistava a musa da Música em Monlevade, saudosa Neide Roberto.