Archive for maio \31\UTC 2013

O Horto é o Santuário do Galo!

31 de maio de 2013

Horto

Deus ontem ajudou e foi justo com o nosso Galo. Ele viu que o melhor time da Libertadores não poderia sair daquele jeito, em pleno Horto, o Santuário do Clube Atlético Mineiro, o Galo das Gerais! Com a torcida em “pânico”, no instante do pênalti. Ali as máscaras já haviam sido desgraçadas, jogadas sobre as cadeiras e arquibancadas. Lágrimas desciam e podiam ser vistas pelas emissoras de TV. Não havia, no momento, nenhuma alma alvinegra sem sofreguidão. Mas uma vez o medo de terminar o inconcebível, o inacabado. Mas nos pés de um arqueiro, o improvável ocorreria. E o grito de Galô voltaria a romper todos os cantos da capital mineira, do Horto à Pampulha…

Porque o Horto é o Santuário do Galo!

Imagem da Semana!

31 de maio de 2013

Victor

Esta é a melhor Imagem da Semana, após o goleiro Victor ter defendido o pênalti, aos 47 minutos do 2º tempo, e garantido a classificação do Galo às semifinais da Taça Libertadores da América.

Dá-lhe, Galô!

É Galo na cabeça!

30 de maio de 2013

Galo de Briga

Justiça do Rio de Janeiro suspende amistoso entre Brasil e Inglaterra

30 de maio de 2013

O amistoso entre Brasil e Inglaterra, que aconteceria neste domingo, no Maracanã, foi suspenso. Determinação é de uma Juíza da Comarca do Rio Janeiro, que alegou falta de segurança do estádio para realização do jogo. Dessa forma, o amistoso foi cancelado.

Este é o Brasil que vai organizar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Vergonha!

É Horto, Galô!

30 de maio de 2013

Galo de Briga

Audiência Pública termina e assessores de Teófilo saem pelas portas dos fundos da Câmara

29 de maio de 2013

Audiência Pública ocorreu na tarde de hoje na Câmara Municipal, sobre a gestão fiscal do 1º quadrimestre, e mais uma vez a secretária municipal de Fazenda, Laura Carneiro, não apresentou os trabalhos. A sua ausência foi questionada pelo vereador Belmar Dias (PT), mas pelo visto, ele prefere não sem se manifestar. Para apresentar o balanço, ela mandou como representante seu consultor – contratado da cidade de Nova Serrana -, o Assis. A secretária afirmou que não tem conhecimento para apresentar a audiência. Justificativa incoerente, se a própria Laura atuou como prefeita de Nova Era por dois mandatos, o que obviamente lhe dá condições de ser conhecedora da máquina administrativa.

Um detalhe curioso é que ela estava na Câmara e, junto ao secretário Eduardo Bastos e a assessora de Comunicação, Claira Ferreira, apenas participaram da mesa de trabalhos como ouvintes. Questionada sobre os 210 cargos comissionados, o que representa cerca de R$ 250 mil na folha de pagamento, Laura respondeu que “isto é problema do prefeito por se tratar de cargo político”. E, ao terminar a audiência, ela, Eduardo e Claira sairam pelas portas do fundo da Casa Legislativa, temendo serem hostilizados. Desse jeito, o prefeito Teófilo Torres está mal, já que não conta nem mesmo com apoio e defesa de seus próprios assessores.

Laura Carneiro

Mais uma vez Laura foge da raia, e ainda saiu pelas portas do fundo da Câmara Municipal temendo manifestação de populares, atendendo conselho da assessora Claira Ferreira

A Imprensa quem está “inventando”…. Agora, contem a do papagaio!

29 de maio de 2013

Muito interessante, mas agora alguns sagazes defensores do governo do prefeito Teófilo Torres questionam a informação publicada hoje no jornal “A Notícia” e ontem em meu Blog e pelo Facebbok, primeiramente no Mural do amigo Chico Franco, onde insinuam de que “a imprensa monlevadense está plantando notícias. Não, isto é fato e o Caixa de R$b 17 milhões fechado. Muito fácil agora, tentar explicar o inexplicável, ou seja, de que o prefeito Teófilo Torres e sua assessoria provocaram um choque de gestão e conseguiram fechar o quadrimestre com um superávit de R$ 13 milhões, e em contra partida ferrou toda a cidade e o povo monlevadense nesses primeiros cinco meses de administração. Precisa citar o que foi feito para comprovar isto? Ou melhor, o que não foi feito? Acho que não.

Só uma perguntinha que não quer se calar: por que então não pisaram em suas próprias feridas e, por exemplo, determinaram que baixasse os salários do próprio prefeito, do vice e do secretariado do 1º e 2º escalões, em vez de oferecer ZERO aos servidores públicos? Pimenta anos olhos dos outros é refresco. Sei…

Política do mal e sem compromisso com o Povo

28 de maio de 2013

O amigo e articulista Chico Franco fez a seguinte postagem nesse instante em sua rede social do Facebook: “PASSARINHO VERDE ME CONTOU E PASSO PARA A FRENTE: AMANHÃ CEDO, NO JORNAL A NOTÍCIA – PREFEITURA TEM MAIS DE R$17 MILHÕES EM CAIXA. SUPERAVIT DO QUADRIMESTRE FOI DE R$13 MILHÕES DE REAIS. E TEM MAIS: RECAPEAMENTO ASFÁLTICO QUE COMEÇOU ESTA SEMANA, DEVE TERMINAR SOMENTE EM OUTUBRO DO ANO QUE VEM, APÓS PLEITO ELEITORAL. (Não, isto não é política. E ainda disseram que a Prefeitura estava à beira da falência!)”.

Pois bem, eu também tive a mesma informação no último sábado, só com números um pouco diferentes, já que o meu “Passarin Verde” afirmou que o Superávit no primeiro quadrimestre teria sido de R$ 7 milhões. Mas não importam os números distintos, mas sim a realidade dos fatos, comprovando que este governo que aí está e foi eleito pelo povo, não tem qualquer compromisso com este mesmo povo monlevadense, que foi descartado após a vitória nas urnas. E fica comprovado a tal “estratégia” de que tantos falavam, que é ter deixado a cidade durante esses cinco primeiros meses de governo totalmente abandonada, suja, com a saúde pública no fundo do poço, os servidores públicos com reajuste salarial ZERO, enquanto o fato vem desmentir o prefeito Teófilo Torres, quando assumiu dizendo que a Prefeitura de João Monlevade estava em colapso financeiro por responsabilidade de seu antecessor, ex-prefeito Gustavo Prandini de Assis. E comprova-se que o contabilista Delci Couto estava coberto de razão. Pau mandado de sua secretária de Fazenda, a ex-prefeita de Nova Era, Laura Carneiro, o chefe do Executivo optou em deixar a Prefeitura com este dinheiro em caixa em vez de cuidar da cidade, para poder investir em 2014, ano eleitoral, onde seu irmão, Tito Torres, sairá candidato à Assembléia Legislativa de Minas Gerais.

Pois é, mas esses são os políticos que o povo elege. E este é o preço que a cidade paga; pela omissão, pela ganância do poder pelo poder. Eu, como monlevadense da gema, tenho muitas vezes nojo de tudo isto. Em terra de coronéis, a nossa omissão e covardia são os maiores pecados.

Acorda, Povo de João Monlevade!

Cofre

O Cofre somente será aberto no ano eleitoral. Acorda, Monlevade

Coral Monlevade retorna para comemorar seus 50 anos

28 de maio de 2013

Coral Monlevade-1-17

Luciano Lima reencontrou seus “pupilos”

A semente foi plantada no ano passado, quando alguns ex-integrantes do Coral Monlevade decidiram reunir um grupo em torno de um objetivo comum: retornar com o Coral, que há alguns anos estava com suas atividades paralisadas, e que completou seu cinqüentenário no último domingo, 26 de maio. Aos poucos foram chegando novos adeptos, e a gota d água para que o sonho se tornasse realidade deu-se em junho, através da iniciativa do cantor e compositor Rômulo Ras – com quem fazia parceria no projeto idealizado por ele, denominado “Sarau: Bate-Papo Cultural” – e da Pró-Reitora da Unileste, a monlevadense Ana Marta Souza, que conseguiram trazer a Monlevade o Maestro Luciano Clemente Mendes Limas, um dos fundadores do Coral e hoje trabalhando na área em cidades do Vale do Aço. O encontro se deu no “Terra de Minas” (Bar do Julinho), e foi o suficiente para que a semente desse frutos e os amantes do Coral Monlevade tivessem a certeza de que era o momento de o grupo retornar, conforme afirmou o cantor Geraldo Eustáquio Ferreira, professor “Dadinho”, um dos primeiros integrantes do Coral.

E, para solidificar este renascimento, no último sábado, 25, tivemos o prazer de levar o Maestro Luciano Lima, a regente Andréia Carvalho e os membros do Coral, que se apresentaram em Sarau, no “Emporio Wine Bar”, na Avenida Castelo Branco. Foi uma noite de Gala, onde pude reencontrar o grande maestro e levar um papo com ele e o professor Dadinho, sobre a trajetória do Coral (matéria completa sobre a história do Coral Monlevade, pode ser lida em nosso Site, no endereço http://www.morrodogeo.com.br). Na oportunidade, um número musical foi apresentado, que fechou com “Aleluia de Handel”, obra prima e que o grupo não a ensaiava desde 1996, conforme lembrou Luciano. Mas, como diz o dito popular, “quem é rei, não perde a majestade”, e foi um show à parte. O público só teve a elogiar e reencontrar a linha música do canto-coral.
No próximo dia 22 de junho, o Coral Monlevade promove um Encontro de Corais, com presença de seis grupos. O evento ocorrerá no Teatro Antônio Gonçalves (Centro Educacional), a partir das 20 horas. No domingo, 23, a Missa será celebrada pelo Bispo Dom Lélia Lara, na Igreja Nova de Carneirinhos, as 10 horas, e terá participação do Coral Monlevade.

Aproveito a oportunidade para agradecer ao casal que administra o estabelecimento do “Emporio Wine Bar”, Manoel e Edilene, que sempre tem aberto a bela casa para eventos culturais, apesar de sofrer pressões por parte de pessoas insensíveis, que não conseguem discernir a boa música do barulho que realmente incomoda.

Coral Monlevade-1-2

Tive a oportunidade levar um bom papo com o Maestro Luciano Lima e o professor Dadinho, durante o “Sarau”

Poema para Monlevade City

28 de maio de 2013

rio Piracicaba

Monlevade, tu andas parada
Tu andas desanimada
Tu andas abandonada
Tu andas sem rima. Sem eira e nem beira…

Monlevade, onde anda sua cara
Monlevade, onde anda sua cura
Monlevade, onde anda tua aventura
Monlevade, onde anda teu prazer…
Onde andas teu rio, o Piracicaba

Onde andas Jean Ricardo Monlevade
Onde andas Louis Ensch
Onde andas Bio, Pirraça e Dr. Lúcio
Onde andas teu passado
Onde andas tua sede
Onde andas teus sonhos

Pois é, João Monlevade… Mas você deve estar cansada
Com vontade de soltar este grito da garganta, desabafar
Porque estão muito te maltratando, te fazendo penar
Estão tirando você, Monlevada, do teu lugar.

E seus filhos, agoniados, sem prazer, sem tesão
Suas noites mal dormidas pelo desconforto e desilusão
Monlevade, onde andas a sua ternura, sua doce palavra
Como diria Drumond, acabaram também com seu terno de vidro
E colocaram forasteiros de merda para sugar seu minério e dar o fora…

E agora, Jean Monlevade?
E agora, Joães e Marias?
O tédio, o mar e nossas minas…
Até a Usina deixou de plantar.
Os sonhos parecem se derreter
A vida e a esperança parecem passar…