Archive for junho \29\UTC 2013

Terror: ônibus incendiado no Santa Cecília

29 de junho de 2013

Um ônibus da Linha 30, que saia do ponto final do Bairro Estrela Dalva para o Hospital Margarida, foi incendiado na noite de ontem, no Bairro Santa Cecília. O motorista acabava de deixar o local para dar início à viagem, quando no primeiro ponto um menor deu o sinal. Ao abrir a porta, cinco elementos encapuzados sairam detrás de um muro e invadiram o coletivo. Por sorte só estavam o motorista, conhecido por Tiago, e a trocadora, popular “Cida”, por coincidênca esposa do ex-vereador e secretário municipal, Sinval Jacinto Dias. Os marginais mandaram ambos descerem e atearam fogo no ônibus.

Até a manhã de hoje, os elementos não foram ainda localizados pela Polícia.

Anúncios

Cavalgada, Areão e Comunidade: onde fica a Prefeitura nesta?

29 de junho de 2013

Areao Foto 3

Uma pergunta que não quer calar: o Ministério Público, durante o governo passado, recomendou o não uso do Areão para promover eventos públicos. Entre os argumentos apresentados, através de um TAC – Termo de Ajuste de Conduta -, o MP disse se tratar de área de preservação ambiental e por estar praticamente dentro de um setor residencial. E os mais prejudicados são os moradores do Bairro de Lourdes, que sempre reclamaram pela utilização do local para shows especialmente no horário noturno.

Durante o governo do ex-prefeito Carlos Moreira foi construído o chamado “Parque de Exposições” em uma das bacias do Areão, que está localizado entre os bairros de Lourdes, Satélite e Lucília. Até o final dos anos 1990 o local estava todo degradado em virtude da exploração de areia que era feito por construtores da cidade, e imensas crateras eram vistas. Aliás, o Areão tem muitas histórias, pois foi, principalmente durante a década de 70, point da juventude que ali se reunir aos domingos para uma “balada”, gíria utilizada no nosso tempo. Mas, voltando ao quase presente, a administração de Moreira, segundo documento conseguido pelo amigo Ronaldo Carvalho junto à Caixa Econômica Federal, em 2004, a Prefeitura firmou um empréstimo junto à CEF – na ordem de R$ 880 mil -, dentro do Programa “Turismo Brasil”, para construção do Parque. Ou seja, investiu-se uma quantia significante do dinheiro público e, segundo consta, a obra nem concluída foi. E pior: a área não é adequada para atender a shows e eventos artísticos. Trocando em miúdos: o dinheiro público é capim e mais uma vez indo pro ralo, como foi no caso do Hospital Santa Madalena.

E agora, mesmo com as contradições e incoerências, anuncia-se a Cavalgada de Monlevade, que se fará realizar em agosto, para o tal “Parque de Exposições”, no Areão. Uma festa a ser organizada, pelas informações que obtivemos, por empresários que atuam no setor (os mesmos que fizeram a festa no ano passado), pois parece que também o Clube do Cavalo já não mais assume a coordenação do evento. E tudo ali dentro é pago, entre a exploração das barracas até os shows. Portanto, vamos ficar atentos para que a Prefeitura Municipal não invista dinheiro público em festa privada. Como se diz na gíria popular, em terra de Inhambu jacu não entra”.

CAIXA 3

Documento que indica o convênio entre a Prefeitura de Monlevade e a Caixa, em 2004

Frase do Dia!

29 de junho de 2013

“Eu tenho aversão dos radicais. Como bem frisou ontem o jornalista Márcio Passos em sua Coluna ‘Emporium’, Monlevade já teve alguns ‘Chiuffas’. Chegam na cidade como bravos, “heróis”, e saem mansinhos, cordeirinhos. Depois nem sabem mais onde Monlevade fica no Mapa. . O tempo sempre é o senhor da razão”.

Esta é minha eu eu assino em baixo.

Frase para o Final de Semana!

29 de junho de 2013

“Vocês viram muitos cartazes pedindo a reforma política? Eu não! Por que a presidente está querendo governar o Brasil como Chaves governava a Venezuela? Esta turma do PT é mesmo esperta…querendo usar os protestos para emplacar, através de plebiscito, a reforma que eles tentaram e não conseguiram por ser muiiitooo suspeita”!

Esta é do amigo Mauro Lúcio Rodrigues, aposentado, fotógrafo e blogueiro, e eu assino em baixo.

Cavalgada: Chega de “Mamação”

28 de junho de 2013

Já cansei de falar isto em minha época no rádio, de escrever nos impressos da cidade e agora pelo Facebook e aqui Blog: Monlevade não tem zona rural, não tem mata-burros, não tem esterco nas ruas, não tem burros puxando carroças levando galões de leite das fazendas etc. Mas nesta cidade atípica a rádio AM só toca “breganejo” e de péssima qualidade e tem esta coisa chamada Cavalgada com dinheiro da Prefeitura. E um detalhe: agora nem é mais organizado pelo Clube do Cavalo e e sim por empresários que, cobram um absurdo dos barraqueiros, cobram ingressos e ainda querem mamar nas tetas do dinheiro público. Anos atrás, quando havia ao menos glamour no evento, as barracas eram distribuídas a entidades e instituições com fins beneficentes.

Vamos aproveitar o momento e protestar nas ruas também contra este absurdo, porque Cavalgada nunca foi festa tradicional. E não pode agora recebe dinheiro da Prefeitura.

É hora de partir e eu vou já!…

28 de junho de 2013

DSC00100

Sexta-feira, e eu aqui na contagem regressiva para fazer uma reflexão sobre a vida. Como se diz na gíria, “dar uma palhinha”. Não será uma despedida, longe disto, apenas uns poucos meses fora da terrinha, mas presente aqui quinzenalmente por compromissos assumidos na vizinha Rio Piracicaba, berço natal do meu saudoso pai. E dos meus ancestrais. Monlevade nunca vai sair de mim. Mas precisa.

Mas é o momento, mesmo sem ter ido. O lugar é ali, onde pretendo acabar de escrever meu Livro, que a cada dia mais me emociona por estar relatando um pouco da história de nossa cidade. Cronologicamente, ano a ano, linha a linha, sem pressa. Obviamente, continuarei conectado à Internet, com meu Blog e o Facebook, ferramentas hoje inseparáveis e imprescindíveis para quem faz parte do rol de formadores de opinião. Mesmo fora esses meses, vou estar sempre presente por aqui, com minhas críticas e informações. Quanto a isto, os amigos e eleitores podem ter certeza. Minha máxima é não fugir da raia. Estarei atento e vigilante, porque Monlevade também é minha e não podemos deixá-la apenas nas mãos dos forasteiros sugadores. Para onde irei, serei forasteiro, sim, mas minha proposta lá é de ordem cultural e não política. E a escolhi a dedo, por ser fria, ter um povo humilde e hospitaleiro, 800 habitantes apenas e as mais belas montanhas das Minas Gerais. E sem carros agitados pelas ruas.

Pois é, mas é lá, de um quatro dos fundos com duas janelas laterais, que pretendo dar acabamento à minha obra literária, cujo trabalho não é apenas um prazer pessoal, mas para deixar parte de nossa história imortalizada. Pretendendo ser o mais fiel nos relatos, apesar de que todo fato tem até quatro lados. Como um quadrado, mas só de estar apresentando um deles já orna importante este resgate. Naquele cantinho mágico, às portas da estrada real entre os dois “Ouros”, tenho como prioridade fazer parir algumas décadas da história monlevadense. E tem de ser ali, u m lugar que combina tanto comigo.

Inté, Jota Monlevade City! Ficarei com saudade do seu cheiro e até do seu trânsito maldito. E de sua política tão arcaica. Mas sentirei mesmo a falta dos amigos. Dos botecos, mas estes lá também os têm. Como tem a boa prosa de um povo simples, e a boa pinga. Que a minha saga de lá dê ótimos frutos para minha Saga literária. E vamos nós, como diz o amigo J. Henriques Jr., subindo as montanhas.

LAvras Novas Casas

ArcelorMittal apresenta resultados sociais

28 de junho de 2013

(1) 27-06-13 - AM - créd Bebeto Guimarães

Alunos do projeto Acordes, mantido pela ArcelorMittal, durante abertura do evento

A ArcelorMittal Monlevade apresentou na manhã de ontem, no Salão Nobre do Real Esporte Clube, os resultados dos projetos sociais que a empresa desenvolveu em João Monlevade e outras cidades da região do Médio Piracicaba no ano passado. O evento também foi usado para oficializar o repasse dos recursos financeiros obtidos pelo programa Cidadãos do Amanhã a uma entidade de Nova Era, três de São Domingos do Prata e sete de João Monlevade.

A apresentação dos resultados foi feita pelo gerente de Recursos Humanos e Meio Ambiente, William Barbosa Pantuza, que destacou a abrangência de cada projeto, o número de pessoas beneficiadas e os investimentos feitos pela empresa em cada um deles. Pantuza ressaltou a importância dos parceiros que contribuem para viabilizar os projetos no município sejam eles empresas, entidades ou o próprio poder público.

Números mostraram o volume de recursos gerados pela ArcelorMittal e que movimentam a economia monlevadense, como compra de materiais e serviços, pagamento de salários, benefícios, prêmios e pagamento de impostos como ICMS, IPTU e ISS. Somente em impostos foram recolhidos cerca de R$ 45,1 milhões em 2012. “Esses números são importantes, pois revelam como os resultados da empresa movimentam a economia de um município”, disse o gerente.

Atuação social

Os projetos e programas desenvolvidos pela usina da ArcelorMittal na região abrangeram os municípios de João Monlevade, Nova Era, Rio Piracicaba e São Domingos do Prata. Por meio da Fundação ArcelorMittal Brasil, a empresa foca seus investimentos em projetos nas áreas de Educação, Saúde, Meio Ambiente, Arte e Cultura, Esporte e Promoção Social, sendo a maior parte deles através de parcerias e com caráter continuado.

“Nós só conseguimos transformar uma realidade sendo insistentes e persistentes. E com parceiros para compartilhar esta vontade de fazer. Essa é a síntese da atuação da ArcelorMittal aqui em Monlevade. Na área da Educação vale destacar essa continuidade. Nós temos orgulho de Monlevade ter um dos melhores ensinos do Brasil. E nós temos esta preocupação de fazer juntos. A empresa participa, contribui, fomenta, mas quem faz são as pessoas da comunidade. E quando existe esta parceria, o resultado aparece e potencializa”, disse o diretor-superintendente da Fundação ArcelorMittal Brasil, Leonardo Gloor.

O diretor da ArcelorMittal Monlevade, João Henrique Palmer Caldeira, também destacou as parcerias. “Todos na comunidade são agentes de mudança dentro dos nossos projetos para atingir o maior número de pessoas possível de uma forma mais eficaz. E a ArcelorMittal é parceira da comunidade e vai manter todos os seus projetos sociais no município”, disse o diretor.

(3) 27-06-13 - AM - créd Bebeto Guimarães

Apasmon, uma das entidades beneficiadas pelo Cidadãos do Amanhã. Da esquerda para a direita, João Henrique Palmer Caldeira, diretor da ArcelorMittal; Leonardo Gloor, diretor da Fundação ArcelorMittal Brasil; Isabel Barony, presidente da Apasmon; Teófilo Torres, prefeito de João Monlevade; José Geraldo dos Santos, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de João Monlevade

Câmara “madruga” para votar projeto onde o Executivo pede dinheiro ao BDMG

27 de junho de 2013

A Câmara Municipal de João Monlevade realiza amanhã uma sessão extraordinária, que tem por objetivo votar o Projeto de Lei de nº 784/2013, de iniciativa do prefeito Teófilo Torres, que autoriza o município de João Monlevade a contratar com o BDMG – Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S/A, Operações de Crédito, no valor de R$ 3 mi, aproximadamente. A matéria entraria em votação na reunião de quarta-feira da semana passada, 19, mas foi retirada de pauta em razão do protesto organizado pelos estudantes, que tomaram as dependências da Casa Legislativa. Por ser polêmico e cujo objetivo é o de promover obras de urbanização na cidade, como de recapeamento asfáltico em algumas ruas e avenidas, os vereadores preferem votá-lo com menos pressão por parte do povo, principalmente neste momento que o país vive e a classe política anda tão desgastada diante da opinião pública.

Mas, alguns fatores devem ser observados para que a população não passe em branco. Primeiro é que os mesmos hoje situacionistas que tanto criticaram o ex-prefeito Gustavo Prandini de Assis por ter contraído empréstimos junto BDMG para execução de obras de asfaltamento na cidade, são agora favoráveis a executar uma nova operação de crédito. E, como o prazo para selar o contrato se funda na próxima segunda-feira, 1º de julho, foi marcada esta extraordinária. Mas, outro ponto que quero levantar é que, em Mensagem enviada do Executivo para a Câmara de Vereadores em 17 de junho passado – pelo menos no documento que recebi através de um release -, não consta o valor do empréstimo e nem a forma de pagamento. Muito estranho, apesar de ser quase óbvio que os senhores edis conheçam o documento na íntegra. E, para fechar, o curioso é que o presidente da Casa, vereador Guilherme Nasser Silvério, marca a reunião para as 8 horas, o que não é comum naquela Casa. Se a Câmara vai “madrugar”, talvez seja uma estratégia de contar com um número reduzido de populares no Plenário.

Como as coisas mudam! Até pouco tempo atrás, o Poder Legislativo fazia propagandas nas emissoras de rádio da cidade pedindo que o povo comparecesse às reuniões da Casa. E agora preferem a casa mais vazia…

Eu assino em baixo.

27 de junho de 2013

Para mim, sem nenhuma sombra de dúvidas, o jornalismo esportivo mais ético da televisão brasileira está no Canal fechado do ESPN Brasil, 30 da Sky. Digo ético, porque imparcialidade não existe no jornalismo. Também é minha opinião.

Ontem ficou comprovado mais uma vez, quando o jornalista José Trajano – de quem sempre fui um grande admirador pela sua coragem e postura, e que não é daqueles que vivem puxando o saco dos cartolas que comandam o futebol brasileiro – disse no programa da madrugada de hoje que a função do jornalista esportivo não é torcer contra e nem a favor desta ou daquela equipe, independente de ser a seleção brasileira. Mas sim opinar, criticar e mostrar os fatos. “Vamos parar com este negócio de ‘Partido Único’ para a nossa seleção e sem este discurso furado de anti-patriotismo”, disse Trajano. Eu assino em baixo.

Um bom recado para os baba-ovo globais da Globo e dos canais SporTV.

Prefeitura regulamenta Programa “Adote uma Praça”

27 de junho de 2013

Na última semana, o Prefeito Teófilo Torres assinou o Decreto nº 72/2013 regulamentando o Programa “Adote uma Praça”.

O programa objetiva estimular parcerias entre o poder público e a iniciativa privada de modo a permitir a qualquer entidade civil de colaborar com a reforma, conservação e manutenção das praças do município, deixando-as em perfeitas condições de uso para a comunidade. Podem firmar a parceria empresas, clubes de serviço, associações, entidades e cooperativas.

Na praça adotada será fixada uma placa divulgando o adotante. Com isso, além de valorizar a marca, a população terá conhecimento daqueles que colaboram com o embelezamento da cidade, contribuindo para qualidade de vida dos cidadãos. Esse programa visa, ainda, a concretização do senso de responsabilidade ambiental, a partir do compromisso com a manutenção do espaço.

Nos próximos dias, a Prefeitura publicará edital dando conhecimento das normas que regulamentarão o programa.

Selo adote uma Praça