Archive for dezembro \31\UTC 2013

A emoção no encontro com a “Folia de Reis”

31 de dezembro de 2013

GEDSC DIGITAL CAMERA

 

Há coisas que entram em nossas vidas como de repente, mas que chegam no momento certo. E, neste final de ano, precisamente no último domingo, 29 – um dia após receber os amigos  de minha terra-natal (postagem abaixo), que deram um espetáculo musical na terra de Lavras Novas -, recebo em minha casa neste lindo Distrito de Ouro Preto, o Grupo de “Folia de Reis” (foto acima), uma tradição do lugar e que chegou como uma benção. Mágico, maravilhoso e que só me fez ter ainda mais convicção de que na simplicidade é que reside a sabedoria.

Dentro desse espírito, que as graças de Deus derramem sobre todos nós e e possam iluminar o ano que está por iniciar. Obrigado a todos, amigos e leitores. E que reine a paz e que a saúde continue.

30 de dezembro de 2013

mensagem melo

Clique na Imagem:

“Banda de Maroun” na terra de Lavras Novas

30 de dezembro de 2013

GEDSC DIGITAL CAMERA

 

Os amigos e músicos monlevadenses Antônio Carlos Maroun, Antônio Pereira, Cascalho, Geraldo Di Noite, Julinho, Wildes, Júlio, Braulino, Walter e Vicentinho nos presentearam com uma gostosa música na noite de sábado último, 28, onde o repertório se primou ao ritmo de marchas carnavalescas e sambas. O povo de Lavras Novas prestigiou e aplaudiu o espetáculo. O show se deu na varanda de minha casa, aqui na boa terrinha.

Agradeço a todos pela visita, que foi a prova, mais uma vez, de nossa amizade.

Detalhes sobre todo o ocorrido ainda hoje aqui no Blog, e mais fotografias.

GEDSC DIGITAL CAMERA

O povo foi para a rua ao som das marchinhas

Dona Lídia: Um Símbolo de Lavras Novas

27 de dezembro de 2013

GEDSC DIGITAL CAMERA

Dona Lídia tomando seu banho de sol, em flagrante que registrei hoje

Pelas andanças desta vida, continuaremos sendo eternos aprendizes. E posso dizer que o ano que está se findando, foi talvez um grande transformador em minhas propostas e meus projetos. Afinal, jamais poderia imaginar que mudaria radicalmente a relação com minha terra-natal, João Monlevade, pela qual sempre levantei sua bandeira e tentei resgatar a sua história. Mas aconteceu e de lá resolvi plantar minha nova semente nas terras ouro-pretanas, precisamente no Distrito de Lavras Novas, cuja história todos já sabem de cor. A princípio, seria apenas para terminar meu projeto literário, mas hoje não pretendo mais deixar este lugar rodeado de montanhas, a quase 1.400 metros de altitude, de pouco mais de mil habitantes, e cujo passado é um tanto misterioso, entre ter sido realmente um Quilombo ou um local de escravos alforriados. Mas é justamente pelos mistérios e tanto misticismo que aqui o tempo pára, e meio parece o Paraíso.

Posso dizer que Deus foi muito generoso, ou melhor, está sendo, para comigo. Afinal, me deu esta oportunidade de estar vivendo uma realidade inédita e estar convivendo com uma cultura bem distinta da que deixei em meu grotão natal. E, além do romantismo do lugar, poder me relacionar com uma comunidade simples, mas de uma cultura ímpar. Afinal, dizem os nativos, que a transformação em Lavras Novas ocorreu bruscamente. “Foi como se tivéssemos dormido no século XIX e acordado no século XXI. Atravessamos o século XX sem notarmos. As coisas aqui aconteceram muito rápidas”, disseram dois deles, em uma conversar de bar, na noite de ontem. É que, de uma Vila pacata, sem muitas perspectivas de emprego para os jovens, o turismo veio como um meteoro, e mudou toda a forma de ser do povo de Lavras Novas. E, obviamente, o contraste entre o bem e o mal.

Faço então um paralelo entre minha mudança, que foi radical, com o que foi registrado neste Paraíso. E me veio à mente a conversa que tive aqui, meses atrás, com uma senhora, uma das mais experientes do lugar, quando me falou sobre as mudanças que aqui ocorreram, transformando Lavras Novas neste potencial turístico, onde o forasteiro hoje “invade” o Distrito nos finais de semanas e feriados, prejudicando um pouco a calma e a privacidade dos nativos. “Tudo aqui aconteceu muito rápido. E na época eu conversei com o Bispo da Diocese, Dom Barroso, quando ele me deixou um pouco mais tranqüila, dizendo que as transformações trariam pontos negativos, mas também melhorias para o lugar e, conseqüentemente, para os moradores. E eu aceitei a mudança e tenho a agradecer. Porque hoje o nosso povo tem emprego. Antigamente, os homens se reuniam no Cruzeiro durante horas, conversando, bebendo e aguardando alguma oportunidade de trabalho. Era muita dificuldade, meu filho. Olhe para aqui agora. Todos trabalham e têm suas moradas”, disse a sábia senhora, minha vizinha de frente. Trata-se de Dona Lídia Ribeiro de Carvalho, que posso dizer se tratar de um ícone, um símbolo para o Distrito. Quase chegando aos 90 anos de muita experiência, ela transmite uma paz, uma ternura no olhar, que provoca uma reação única, que é de parar para ouvi-la. Com sua voz calma e a fala de um sábio.

Pois bem, mas tive a oportunidade de ter uma prosa com ela, em setembro passado, e foi quase uma hora de muito aprendizado. Com sua intransponível fé na Padroeira de Lavras Novas, Nossa Senhora dos Prazeres, Dona Lídia contou um pedacinho de sua história de vida, desde o nascimento, cujo parto foi feito pela própria mãe, no meio da mata – entre ruídos emitidos por onças -, até hoje, com a família criada e o dever cumprido. Mora na Rua Nossa Senhora dos Prazeres, e sempre pela manhã toma seu banho de sol, sentada na calçada. A maioria do povo do lugar passa por ela e, antes de saudá-la, pede a sua Benção. Como se fosse a Madrinha de todos, que dá conselhos e transmite uma paz intensa. Mas a avançada idade não lhe dá o privilégio de se acomodar, pois também tem o prazer de fazer os seus trabalhos domésticos. Viúva, mãe de cinco filhos e rodeada dos netos, tem uma mão mágica na cozinha, com sua culinária de tempero afiado, bem mineira, herdada dos escravos. Tem sua horta no grande quintal de fundo e o prazer de conversar com quem passa pela sua casa.

E de minha janela lateral, do meu quarto de dormir, sempre quando amanheço e o sol bate em minha porta, basta abri-la e deparar com aquela senhora, de passos firmes e lentos, chegando a sua varanda, com a mesma calma e a mesma ternura. Coloca os óculos, olha para o nada e deve pensar no que já passou por esta vida, e com certeza agradeço ao Criador por ter me dado a oportunidade se estar tão perto desta pessoa. Dona Lídia, a minha benção!

 

 

A Tirada do Blog!

26 de dezembro de 2013

eu e francisco

No Encontro com o Papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude, o amigo Eduardo Quaresma intercedeu junto ao Papa Francisco, para que o Atlético fosse campeão mundial, mas o Papa, por ser amigo íntimo do Papa Bento XVI, alemão, intercedeu a favor da equipe do Bayern de Munique, de quem o antecessor é torcedor fanático.

Mas, fazer o quê?. Feliz Ano Novo! Hohohoho…

 

O Natal que prefiro ficar só

24 de dezembro de 2013

Hoje amanheci um tanto entediado. Meio amargo e não tanto dentro do convencional, ou seja, com o espírito natalino. Subitamente, bateu um banzo, uma nostalgia e a vontade de estar só, entre o não ser e o não saber.

Mas a vida é assim mesmo, entre a saudade que bate na cara da gente, com muita força. Entre os fatos e, é geralmente nessa época do ano, que paramos para uma reflexão, um balanço geral. E este ano até que me realizou, já que consegui produzir minha obra literária, mesmo sem ser escritor. Mas deixei outro projeto se dispersar, o jornal “Morro do Geo”. Mas deixou sua marca em 11 anos de estrada, tenho certeza. No mais, me mudei de verdade para outro espaço, deixando minha terra natal para trás. Nunca acreditava nisto, mas aconteceu, porque decidi montar minha barraca num Distrito de Ouro Preto, lugar de Quilombos e de cultura ímpar.

Mas hoje não quero muita coisa, mas apenas saúde e paz para os meus. Sem consumismo, mesmo porque este ano a economia foi escassa, mas sobrevivi. Como diz Saramago, temos sido sobreviventes neste louco chão, entre as ações dos homens. E não quero muita fartura, mas apenas o que venha me satisfazer. Sem mesa escandalosa de tanta comida, guloseimas e até desperdício. Quero apenas respirar e tentar melhorar um pouco o meu mundo.

É quase Natal, quando nós, cristãos, festejamos o nascimento do Menino Jesus, que veio ao mundo para nos salvar. Mas nem sequer somos merecedores deste perdão, mas ainda assim o Criador nos deu esta oportunidade. E eu preferindo meu canto, só, sem muito barulho e nem muita festa. Mas com saudade dos amigos de Monlevade que deixei na minha terra, pois não irei encontrá-los neste final de ano. E isso me dói, mas foi uma opção minha.

No mais, que Deus nos proteja, proteja a todos, de minha família, os meus amigos e meu vizinhos.  E que consigamos vencer novas etapas. Amém!

Presépio II

 

Defesa Civil divulga estragos da chuva em Monlevade

23 de dezembro de 2013

Nesta segunda-feira, 23, a Defesa Civil de João Monlevade registrou diversos estragos causados pelas fortes chuvas que atingem a cidade nos últimos dias. O Prefeito Teófilo Torres está acompanhando de perto a situação, visitando alguns pontos críticos na cidade.

A situação mais grave é no bairro Areia Preta, próximo ao antigo INSS. Houve um deslizamento do meio fio, com parte do talude, e meia pista está interditada devido ao risco de outro deslizamento. O trânsito de veículos pesados que segue para a BR-381 está sendo desviado para o bairro Santa Cruz e para o Jacuí. A orientação é que os veículos leves transitem pelo bairro Vila Tanque. A ArcelorMittal Monlevade apoia os trabalhos. A Prefeitura de João Monlevade pede a compreensão dos moradores, já que a medida tem por objetivo garantir a segurança da população.

Na Rua Andes, nº 170, houve deslizamento de barranco nos fundos de uma residência devido a um desaterro feito pelo próprio morador. Na Rua Rio Casca, nº 15, onde também houve deslizamento, a Defesa Civil cedeu a lona e os moradores providenciaram a cobertura do barranco. No final da Rua Anápolis, local que já vinha sendo acompanhado, houve mais queda de terra e aumentou a erosão no local. Na Rua Louis Ensch, nº 533, parte de um muro ameaça ceder. A área estava sendo inspecionada pela Defesa Civil, pois já apresentava problemas.

Um barranco próximo à Igreja São José Operário, onde ocorreu um deslizamento na última semana, está sendo monitorado. Na área do Hospital Margarida uma obra do DAE passou por reforço, a fim de que o problema na via não se agrave.

No bairro Jacuí, a obra de canalização de bueiros e recuperação da estrada não apresenta problemas. Apenas parcela de solo solto, com grama, cedeu, mas o talude está intacto e o deslizamento não apresenta riscos para a estrada. Um muro rip-rap feito próximo à obra ameaça ceder e está coberto por lona, sendo avaliado pela Secretaria Municipal de Obras constantemente.

A Defesa Civil opera em regime de plantão, monitorando as áreas de risco e atendendo a novas ocorrências, caso surjam. Em caso de emergência, a população pode entrar em contato através dos telefones 3852-8100 ou 190 da Polícia Militar.

 

Segunda-feira, quase è Véspera do Natal

23 de dezembro de 2013

Segunda-feira, quase véspera de Natal. Hoje a madrugada foi longa, depois de não conseguir dormir, causado pelo sono entre o fim da tarde e o meio da noite desse domingo.  E a chuva que cai fina e continua derretendo o chão de Lavras Novas. O frio está bom, apenas razoável, mas o clima europeu de neblina continua aqui neste alto. Dormi mesmo só pelas 4 da manhã e logo depois despertado pela sonoridade de uma mulher parecendo estar ao cio, gemendo pelo prazer. E tudo no andar de baixo às 5 da manhã, entre latidos e uma música do Renato Russo.

Pois é, mas agora despertei e um pulo a Ouro Preto, no De ônibus das 10. Deixar o carro na garagem, pois assim aprecio o cenário e ainda posso beber umas na terra de Tiradentes, num barzinho ali na Barra, e retornar no horário das 14. Tudo sem planejamento, quando ameaça acabar o ano. E ainda tendo um enorme “sinuca de bico” para sair, até amanhã.

E vamos levando, olu deixando ela nos levar.

 

GEDSC DIGITAL CAMERA

 

 

Monlevade na terra de Lavras Novas

22 de dezembro de 2013

Show

Acompanhada pelo Maestro Antônio Carlos Maroun, uma Orquestra formada pelos amigos monlevadenses Julinho, Walter, Wildes, Pereira, Cascalho, Gaspar, Geraldo Di Noite e outros músicos animarão o final de ano aqui em Lavras Novas. Imperdível.

Aproveito a oportunidade para agradecer a todos por terem aceito o convite, de forma tão generosa.

Trânsito: Alerta para Motoristas, Motociclistas e Pedestre

20 de dezembro de 2013
Teve início no dia de hoje o novo sistema de trânsito na Avenida Wilson Alvarenga, na área comercial, no sentido Bairro Santa Bárbara, onde está proibido estacionar veículos da entrada para o Bairro São Benedito até o início da Avenida Gentil Bicalho. Uma proposta que visa dar maior mobilidade ao trânsito. O cuidado agora é com os pedestres. Hoje mesmo presenciei excesso de velocidade daqueles imbecis ao volantes que já estão se esquecendo de que estamos trafegando em área urbana, e não respeitando a faixa dos pedestres. E mais: presenciei também alguns motociclistas irresponsáveis colocando vida de pessoas em risco. Não podemos transformar a via numa pista de corridas.
É preciso punir essas pessoas que não sabem conviver no trânsito.