“Samba, agoniza, mas não morre”…

Afilhados do Sereno e Luciano Lima Festival da Canção

Na foto, o maestro Luciano Lima com os integrantes do “Afilhados do Sereno”, onde aparecem, da esquerda para direita: Zé Afonso (Percussão), Zé Ricardo (violão de sete cordas), Zaru (Pandeiro), Louis Bonifácio (Cavaquinho), Rômulo Ras (Violão) e Antônio Pereira (Percussão)

Caros amigos e amigas que acompanham nosso Blog, venho aqui lhes comunicar que a música mais brasileira de todas, o SAMBA, comemora hoje, 2 de dezembro, seu dia. E isto é motivo de muita alegria, pois é o samba a nossa voz e, como diria Dorival Caymmi, “quem não gosta de samba, bom sujeito não é”… E completou Nelson Sargento, de que “Samba, agoniza, mas não morre”… Pois sempre haverá um a lhe socorrer.

E com este título consta em minha Linha do Tempo, na rede social do Facebook (exclusivo aos amigos virtuais), um Álbum em homenagem ao samba, com dezenas de fotografias, dos amigos sambistas da boa terrinha, nas nossas rodas e festas, cuja história teve início com o “Afilhados do Sereno”, na década de 70, com os saudosos Luiz do Cavaco e Gilson Rosa Zaru, e com Antônio Pereira, Rômulo Ras, Zé Ricardo e Zé Afonso. Um sexteto sensacional e que herdou o samba das veias de cantores e instrumentistas que fizeram história em nossa cidade, entre eles Seu Cardoso, Julinho, João Félix, José Maria, Zely, Pelé do Cavaco, Severino Miguel, Ladinho Bexiga, Nova Lima, Vicentinho, Geraldo di Noite, Neide Roberto e outros. E que fizeram uma nova geração de bons batuqueiros, como os saudosos Luizão e Julião, Paulinho do Cavaco, Didi, Ernani Braga, Reginaldo, Rafael Pereira, Heloiso, Geraldinho, Rafael, Djalma, Binha, Leopoldo e Cia.

A todos vocês, amantes desta música de raiz, levando-a através dos instrumentos e das vozes, propagando a história e resgatando a memória de nossos ancestrais, pregados entre os Quilombos e Quilombolas, nas senzalas, muito Axé.

Meu muito obrigado!

DSC00448

Roda de samba, com Zé Wilson, Didi, Reginaldo, Paulinho do Cavaco, Zé Afonso e Cia

Anúncios

3 Respostas to ““Samba, agoniza, mas não morre”…”

  1. Sergio martins Says:

    não deixe o samba morre , não deixa o samba acabar o morro foi feito samba de samba pra gente sabar.
    Isso que é partido do bom ! valeu !!!!!!!!!!!!!

  2. Pedro Paulo Says:

    Pois é Marcelo, saudades de uma boa roda de samba, não manjo nada na arte de tocar instrumentos mas sou fã número 1…quem sabe aproveitamos o fim do ano para reunir esta galera boa de samba,regada a uma cerveja gelada e aquele tradicional tira-gosto.

  3. blogdoleunam Says:

    Mole pra nós. Vamos marcar com esta boa turma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: