Brasileirão 2013: Cariocas tentam ganhar no grito e no Tapetão

Realmente, o Brasil não é um país sério. Nem mais é o país das chuteiras. Razão a Charles de Gaulle e sem razão na contemporaneidade, Nelson Rodrigues. Aqui as trapaças ocorrem sem qualquer constrangimento dos trapaceiros, mostradas para que todos possam ver. E, no momento que se supõe que o ex-presidente João Goulart, o “Jango”, tenha sido envenenado, oficialmente chega-se à resposta que foi óbvia desde os tempos da ditadura militar, ao se tornar oficial que o presidente JK realmente fora assassinado naquele “acidente” automobilístico ocorrido em outubro de 1976. Como se diz no dito popular, “eu já sabia”. E daqui a alguns anos descobrirão também que Tancredo Neves foi mais uma vítima dos militares, em querer assumir o poder. Assim como foram planejados os acidentes aéreos ocorridos com o ex-presidente Castelo Branco e o ex-parlamentar Ulysses Guimarães. E não digam que estou com uma mentalidade muito fértil…

Pois bem, mas retornando ao início, para se chegar ao epílogo, digo que pretendo me tornar um anti-futebolístico, a partir do momento que a cartolagem que comanda o futebol neste país, alicerçada na famigerada Confederação Brasileira de Futebol e no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva, decidir pela virada na Mesa no “Brasileirão/2013”, jogando a Portuguesa para a 2ª Divisão em nome do protegido tricolor pó-de-arroz carioca, o timeco do Fluminense. E mais: tirar os três pontos do Atlético do Paraná e dar de esmola ao Vasco da Gama, promovendo a queda também de outro time do sul, o Criciúma, e salvando a pele do timeco do corrupto Eurico Miranda. E, na mesma situação da Portuguesa, encontra-se o Flamengo que, no entanto, jamais perderá os quatro pontos, pois aí também iria para a “Segundona” em 2014. Trocando em miúdos: dá nojo e se isto ocorrer – como tanto deseja a mídia esportiva mafiosa do eixo Rio/São Paulo -, devemos lavar as nossas mãos e tomar vergonha nas nossas caras e nunca mais se atrever a encarar o futebol como o esporte mais apaixonante de nosso país. Lógico que não seria esta a primeira grande aberração idealizada pelos cartolas deste país – que não é mais das chuteiras -, mas seria a gota d água, o estopim da bomba. Porque, nas quatro linhas, na bola, os famigerados Fluminense e Vasco caíram e isto é fato.

Vamos aguardar e querendo acreditar que o que ficou escrito no gramado prevaleça. Pois não desejamos que, mais uma vez, os homens que comandam o nosso futebol nos envergonhem nos quatro cantos do mundo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: