Archive for janeiro \31\UTC 2014

Lavras Novas: comunidade quer mais respeito ao Meio Ambiente

31 de janeiro de 2014

GEDSC DIGITAL CAMERA

Um esporte como outro qualquer, desde que não destruísse tanto as coisas ligadas ao meio ambiente. Falo dos adeptos das trilhas, que montam em suas motos, jeeps ou quadriciclos, explorando a natureza, vivendo as delícias que ela oferece, entre cachoeiras, vistas maravilhosas, muita terra e o pó da estrada. Hoje um esporte que a cada dia conta com mais adeptos, entre adultos, jovens e crianças. Não há mais uma idade certa pra praticá-lo.

Pois bem, mas onde anda a consciência ecológica de seus praticantes? Obviamente que a toda regra, há exceções. E acredito que, nesse caso, deve até ser boa parte que pratica o esporte com consciência ecológica. Mas muitos continuam achando que o esporte está acima dos seus deveres e acabam extrapolando os direitos dos outros. Por essas coincidências da vida, dia desses, conversando com moradores de Lavras Novas, Distrito de Ouro Preto – onde hoje resido – percebi a preocupação da comunidade no geral com a prática desse esporte, muito comum na região por ser montanhosa e bela por natureza. A realidade é que muitos dos praticantes desse esporte deixam rastros de destruição por lugares onde passam com suas máquinas. Destroem trilhas por onde circulam os nativos, estradas, plantações, nascentes e, além de tudo, pioram as condições das estradas que ligam os distritos, e as consequências são imprevisíveis E pergunto: qual o retorno dão ao lugar?

Portanto, fica o alerta: Lavras Novas, premiada com esta exuberante natureza, é apenas um exemplo. Mas podemos mudar esse quadro, desde que os adeptos do esporte respeitem seus limites e saibam conviver em harmonia com o meio ambiente. E o bom é que, por estas bandas, os nativos estão se organizando e em mutirão colocando cercas e reparando estradas, entre outras investidas, afim de preservar o que a natureza lhes dá, graciosamente.

Breve, em nosso Site (www.portallavrasnovas.com), que estará no ar nos próximos dias, mais detalhes sobre o trabalho que vem sendo executado pela Mesa, pela Associação e os moradores de Lavras Novas, neste sentido.

Inscrições para cursos da Casa de Cultura até hoje

31 de janeiro de 2014

Encerra-se hoje, 31, o período para as inscrições dos interessados em participar dos cursos oferecidos gratuitamente pela Fundação Casa de Cultura à comunidade no ano de 2014. Cerca de 320 pessoas já se inscreveram para as modalidades de bateria, canto, dança, piano, pintura em tecido, pintura em tela, teatro e violão.

As inscrições estão sendo realizadas no período de 8 às 11h e 13 às 17h, na sede da Fundação, localizada à Rua Timóteo, 172, Bairro Lucília. Os interessados deverão levar xerox da Carteira de Identidade e comprovante de endereço atual.

Como no ano passado, a Fundação receberá as inscrições de todos os interessados e a classificação não obedecerá à ordem de chegada. Os inscritos passarão por uma entrevista e cada pessoa poderá ingressar em apenas um curso. A previsão é de que as aulas se iniciem no dia 10 de março.

Casa de Cultura contrata professores

Na semana que vem, de 3 a 5 de fevereiro, a Fundação Casa de Cultura de João Monlevade receberá inscrições para os interessados em ministrar os cursos da grade de 2014. A carga horária é de 25 horas semanais, com salário de R$765,00. Sete vagas são oferecidas para bateria, canto, dança, piano, pintura em tecido, pintura em tela e violão, sendo um profissional para cada área.

As inscrições deverão ser feitas no período de 8 às 11 e 13 às 17 horas, na sede da Fundação, localizada à Rua Timóteo, 172, Bairro Lucília. Os documentos exigidos constam no edital, que está disponível na sede e no site da Prefeitura de João Monlevade e também está afixado na Fundação Casa de Cultura e no prédio da Secretaria Municipal de Educação, situado na Praça Sete.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3851-4499.

Mais de 30 professores são empossados em São Gonçalo

31 de janeiro de 2014

O Prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo, Antônio Carlos Noronha Bicalho, deu posse a 34 professores e dois pedagogos, na quarta-feira (29). Os profissionais foram aprovados no concurso público de 2010 e passam a integrar o quadro de pessoal do Executivo em caráter efetivo.

O ano letivo de 2014 começa com ampliação de vagas na educação infantil e ensino fundamental gerando necessidade de contratação de novos profissionais, conforme aponta levantamento da Secretaria de Educação do município.

O prefeito Antônio Carlos deu boas vindas aos novos servidores e destacou a importância do trabalho em equipe. “O maior capital da educação são os professores aliados aos nossos alunos. É necessária educação de qualidade para conseguirmos obter êxito no desenvolvimento sustentável”, destacou.

A professora Alice Soares de Oliveira Martins da Costa é uma das professoras empossadas que comemorou a novidade. “A educação em São Gonçalo acompanha o crescimento da cidade gerando mais tranqüilidade aos trabalhadores”, elogiou.

Prefeito Antônio Carlos deu boas vindas aos professores empossados

Prefeito Antônio Carlos dar boas vindas aos professores
(Foto: Anágnia Flóis)

Mais um vereador pode deixar sua cadeira para ocupar uma Secretaria

31 de janeiro de 2014

Corre à boca pequena que mais um vereador de João Monlevade poderá entregar a cadeira ao suplente. Depois dos casos envolvendo Sinval Dias (PSDB), que deixou o cargo para assumir a Secretaria de Serviços Urbanos, dando lugar ao suplente José Marcos dos Santos, o “Zé Lascado, e no início desta semana, o vereador eleito, Fabrício Lopes (PV), assumindo a Secretaria Municipal de Obras e deixando sua vaga na Câmara ao ex-vereador Pastor Carlinhos. Fontes ligadas ao governo municipal garantem que está para rolar nos próximos dias a cabeça do secretário municipal de Esportes, Mário César da Silva, e para o seu lugar estaria sendo convidado o vereador Evandro Dias dos Santos, popular “Tuquinho” (PMDB), que sempre esteve ligado à área de esportes. Caso isso ocorra, assumirá a vaga o 1º suplente pelo partido, o comerciante Antônio Carvalho Fraga, conhecido como “Lelê do Fraga”, que obteve 391 votos nas eleições passadas.

Outro assunto é sobre a mudança de comando na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, onde ocupa o cargo o ex-vereador José Arcênio de Magalhães, “Zezinho Despachante”. Apesar de informações de que ele seria destituído do cargo no final do ano passado, ele continua dando as ordens no setor. Fontes informam que a sua saída e só uma questão de tempo e a vaga já teria dono: o ex-vereador Rivaldo de Brito. Vamos agora aguardar as novas informações.

Meu caro Fabrício, a política não pode apenas ser um jogo de interesses

30 de janeiro de 2014

Foi com certo pesar que recebi ontem o e-mail do amigo Fabrício Lopes, vereador eleito por João Monlevade nas eleições passadas, quando obteve mais de 1.300 votos, informando que decidiu se afastar do cargo de legislador (temporariamente) para ocupar o cargo que já havia assumido no governo passado, do ex-prefeito Gustavo Prandini de Assis, como secretário municipal de Obras. Segundo Fabrício, conforme documento encaminhado à imprensa por ele próprio, no dia de ontem, e postado abaixo, ele afirma ter recebido o convite do prefeito Teófilo Torres, “nas últimas semanas”, quando concluiu que “aceitar esta missão é reafirmar corajosamente meu compromisso com os cidadãos e com nossa terra. Afinal, por ocasião da posse, eu disse que estaria unido no propósito de trabalhar por uma cidade melhor”. Obviamente que, caso sua atuação não lhe seja satisfatória, ele tem todo o direito de reassumir sua cadeira no Poder Legislativo. Assim como Sinval Jacinto Dias, que também se ausentou do cargo de vereador, em seu 5º mandato, para assumir a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos. Aliás, aonde vem cometendo erros em cima de erros e falando pelos cotovelos, prejudicando ainda mais a imagem do Executivo.

Mas, comecei o artigo falando que recebi a notícia com pesar. E é verdade. Aliás, amigo não é aquele que fala o que o outro quer ouvir, mas o que precisa ouvir. E, justamente por ter um ótimo relacionamento com Fabrício e respeitá-lo, vou dar minha opinião, apesar de não ter sido pedida. Posso estar enganado, mas o amigo tinha tudo para se deslanchar na política em João Monlevade e poderia se tornar um líder natural. Para início de conversa, em sua primeira campanha, você conseguiu um feito raro, que foi unir a comunidade onde mora, o Bairro Vila Tanque, a vizinha Areia Preta e parte do Centro Industrial, onde obteve a grande maioria de seus 1.310 votos. E agora, deixa a cadeira onde representava os seus eleitores para assumir uma pasta no governo municipal? Eu, particularmente, não acho correto. No mais, em níveis estadual e federal, um parlamentar deixar o cargo pelo qual foi eleito para assumir uma secretaria ou um ministério, em nada o prejudica. Agora, no plano municipal, a diferença é o contato personalizado, onde o povo e o político estão sempre se conectando. Assim como fez Sinval, mas já em seu 5º mandato e sem mais perspectivas de crescer politicamente. Agora, o seu caso era o inverso e você pode estar decretando fim de sua promissora carreira política fazendo tal sacrifício. E para atender quem? Ao ex-deputado Mauri Torres e, por tabelinha, ao Pastor Carlinhos que, como 1º suplente de sua Coligação nas eleições proporcionais de 2012, assume sua cadeira. E, de tabela, a Igreja do pastor fecha apoio à candidatura de Tito Torres, que disputará as eleições deste ano para tentar uma vaga na Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Portanto, caro amigo Fabrício, a política não poderia ser apenas um jogo de interesses. Mas cada dia mais isso está provado.

Não vou mais me delongar, mas tinha de escrever tudo isso, em nome do meu respeito e consideração que tenho por você e sua família. E que tenha sorte nesta escolha e que minhas previsões estejam erradas. Ou seja, que sua carreira política não seja interrompida precocemente em nome de uma decisão que chamaria de profana, metaforicamente falando. Mas voltarei a falar no assunto, com certeza. Um forte abraço e Deus te abençoe nessa empreitada.

 

Memórias

30 de janeiro de 2014

*Teotino Damasceno

“Andar de carro é um hábito que parece ser bom. O conforto, a rapidez – quando o trânsito não está congestionado – são fatores que nos deixam acomodados a ponto de achar que é um desconforto andar a pé. Mas andar a pé proporciona a visualização do caminho e de seus arredores, de modo que é possível apreciar vistas que não seria possível num carro. Há bem pouco tempo fui forçado a descer a Getúlio Vargas a pé e ao passar pelo terreno onde um dia fora o Cine São Geraldo, deparei –me com aquele espaço vazio e que um dia teve tanta vida e que foi palco de tanta alegria. Viajei no tempo e lembrei-me de quando, ainda criança, vim para Monlevade para morar na antiga Rua do Correio (Virgílio Lima), tendo como vizinhos D. Maria de Sr. Agenor, D. Lilica de Sr. Astolfo e D. Zarica de Sr. Zé Andrade.

Por um instante, parado ali em frente aquele lote feio, horrível, que torna feio um lugar que já foi bonito, lembrei-me da Falconete, loja saudoso Dr. Onofre e aí me veio a lembrança dos tempos em que ele operava os projetores do cinema e ensinava meu irmão aquele ofício. Naquele tempo meu pai era zelador do cinema e eu o ajudava na tarefa de varrer o salão depois de cada sessão. Com isso, não perdia uma matinê – as sessões das 18 e das vinte horas eram proibidas para crianças. Assistia os clássicos do faroeste com Burt Lancarster, John Waine, James Stewart (o Homem que matou o facínora); as baladas dos filmes mexicanos de Miguel Aceves Mejia e Sarita Montiel; os espadachins como O corcunda, Revolta em alta mar; os clássicos romanos. Às vezes escondia e assistia a sessão das seis e via os filmes italianos de Giani Morandi e clássicos como Romeu e Julieta, Dio come te Amo e O candelabro italiano.

O som dos grandes shows ecoou na memória quando lembrei que durante o dia ficava testando microfone para o Sr. Nicolau. Nesse tempo Carneirinhos ainda era apenas uma rua de terra batida que mais tarde se tornou Avenida Getúlio Vargas, com alguns galhos como a rua do Andrade, buraco do Tatu, buraco da Mandioca , e terminava na Fazendinha dos Bicalho. No meio do caminho, a venda do Telécio, o armazém de Sr. Eugênio, a farmácia de Zé Machadinho, a matriz, o bar do Bio, o cinema do Sr. Milton e lá no fim o armazém do Pedro Machado, onde ficava o ponto final do ônibus. A rua Santa Bárbara era apenas o caminho para ir às Pacas. A rua do Correio (Virgílio Lima) desembocava na fazenda de Maria do Morro, que ficava pouco antes do areião. Alí a meninada ia roubar manga e brincar de faroeste. Durante o período das chuvas o brinquedo era “finca”. E na seca, além das brincadeiras de pique e pique-bandeira, o que imperava era a birosca. Em tempo de semana santa, a diversão era ir para Monlevade ouvir as pregações de Padre Higino e Padre Henriques – isso mesmo: a gente saía todo alegre de Carneirinhos para ir a Monlevade, como era chamado o centro industrial. Não entendia nada, mas o fato de ir à Igreja São José e ficar em meio aquela multidão, era uma festa para as crianças, mesmo tendo que enfrentar fila quilométrica para entrar na lotação da Asa Branca, lá no ponto final do Pedro Machado ou na rua Tietê. No fim do mês, era época de fazer compra e aí era outra farra: a gente ia com os pais até a praça do mercado e ficava passeando por lá e na praça do cinema. A compra ia para Carneirinhos em carroça de burro e a gente voltava a pé. Gostoso mesmo era ir até a cidade alta ou na casa da tia no acampamento do Ângelo, passando pelas Três Casas ou pela linha do trem… Um carro buzina e me tira desse torpor e volto à triste realidade: Muito do que vi e vivi, hoje não passa de lembranças. Se em Itabira ficou apenas um retrato na parede como disse Drumond, aqui só ficaram as lembranças e as gerações mais novas não fazem idéia do já foi Monlevade.

Felizmente, para resgate do passado e vivificar a memória de tempos idos, existem pessoas como Marcelo Melo, que se dedica a resgatar a História de Monlevade, deixando seu legado para as gerações do presente e do futuro. Sem ser historiador, cataloga a história da cidade e narra sua evolução. Como homem das letras, poderia escrever romances, poesias. Mas não: deu preferência à história da terra que tanto ama. Essas memórias vieram em ocasião oportuna, quando ele está prestes a lançar sua obra “A saga”. É uma boa oportunidade para o Monlevadense ter em casa a história de sua cidade e com isso preservar sua memória e não deixar que ela se perca no tempo.

 Fim da conversa no bate-papo”.

* Teotino Damasceno é Advogado e reside em João Monlevade

————————————————————————————————-

Teotino, de coração, meu muito obrigado pelas palavras e sua Crônica nos remete ao passado. E muito bem feita e mais, com a alma. Grande abraço,

Troca-Troca no Secretariado do governo Tucano

29 de janeiro de 2014

Nesta quarta-feira, 29, o Prefeito de João Monlevade Teófilo Torres anunciou mudanças em seu secretariado.

Na Secretaria Municipal de Obras, Júlio Bruno Leite Júnior pediu para sair da função, mas continuará exercendo o cargo efetivo de Engenheiro da Prefeitura de João Monlevade. Na titularidade da pasta ele será substituído pelo Administrador de Empresas Fabrício Pinto Melo Lopes. Fabrício é graduado pela Funcec/Rede Doctum e iniciou sua vida profissional na empresa Prohetel, onde esteve por 7 anos e atuou como Supervisor de Obras. Foi Secretario Adjunto de Obras e, posteriormente, Secretário de Obras na Prefeitura de João Monlevade entre 2009 e 2012. Atualmente, exerce seu primeiro mandato como vereador na Câmara de João Monlevade.

Por sua vez,  na Procuradoria Jurídica, Racíbia Alves de Moura dará lugar a Teotino Damasceno Filho. Racíbia permanecerá atuando no setor como Diretora de Procuradoria, cargo ocupado atualmente por Brenda Miranda Damasceno, que deixa a Prefeitura de João Monlevade.

Os novos titulares das pastas deverão assumir os respectivos cargos na próxima semana.

TEOTINO

 

Teotino Damasceno, que já foi procurador jurídico no governo do ex-prefeito Laércio Ribeiro, do PT, hoje assume vaga no governo tucano

Fabrício Lopes deixa a Câmara e assume Secretaria de Obras

29 de janeiro de 2014

Em respeito aos 1.310 eleitores que me confiaram o mandato de vereador, venho anunciar o meu afastamento temporário do cargo que exerço, desde o dia 1º de janeiro de 2013, na Câmara Municipal de João Monlevade. Recebi convite do prefeito Teófilo Torres, nas últimas semanas, para contribuir diretamente com a administração municipal, com o objetivo de aplicar meu potencial de trabalho para, juntamente com todo o grupo do governo, ampliar a busca de soluções dos problemas cotidianos.

Venho avaliando a solicitação com maturidade. Conversei muito com minha família, amigos e apoiadores de minha campanha e do meu mandato. Juntos, concluímos que aceitar esta missão é reafirmar corajosamente meu compromisso com os cidadãos e com nossa terra. Afinal, por ocasião da posse, eu disse: “estaremos unidos no propósito de trabalhar por uma cidade melhor”. A atual administração pretende ampliar sua atuação e dar novos direcionamentos a algumas obras. Sei que as coisas não são fáceis, mas os desafios são feitos para fortalecer nossos ideais.  Se o momento político exige meu comprometimento pessoal, vou me colocar à disposição. Deixo o Legislativo para servir a João Monlevade como Secretário Municipal de Obras.

Não apoiei o candidato Teófilo Torres nas eleições de 2012 e isto é de conhecimento público. No entanto, desde que assumi o mandato na Câmara Municipal sempre trabalhei com a filosofia de que as disputas ficaram no passado. A política não é uma guerra e muito menos ambiente para a intolerância e disputas pessoais, mas um instrumento para a construção do bem estar coletivo, que tanto almejamos.

Hoje, como um cidadão que quer o melhor para nosso município, volto a atuar em um cargo no Executivo. Assumo o compromisso de trabalhar com a mesma dedicação de quando atuei como Secretário Municipal de Obras na administração anterior.

Conto com a compreensão de cada monlevadense que, como eu, tem a convicção de que Monlevade precisa e pode melhorar.

Com disposição para o trabalho,

 

Fabricio Pinto de Melo Lopes

João Monlevade, 29 de janeiro de 2014.

Comunicado aos Leitores

29 de janeiro de 2014

Em razão de meu Projeto Literário, “A Saga: Memórias de um Jornalista do Interior”, cujo trabalho será lançado em março próximo, terei de diminuir, temporariamente, as postagens aqui no Blog. Isto devido às correções que faço no Livro após revisão elaborada pelo professor Dadinho. A corrida agora é contra o tempo.

Agradeço a todos pela compreensão.

“A Saga”: Adquira seu livro antecipadamente

29 de janeiro de 2014

Capa

Chegamos ao final do nosso projeto literário, com “A Saga: memórias de um Jornalista do Interior”. O trabalho vai contar a história dos 30 anos de nossa atuação como jornalista. Planejado para seu pré-lançamento em março deste ano de 2014 e lançamento no aniversário de 50 anos da cidade de João Monlevade, em abril, o livro reunirá fatos dos bastidores da imprensa monlevadense, relatando acontecimentos reais de nossa história política, sindical, cultural e social. Como não poderia ser diferente, muita polêmica no ar, dando nomes reais aos personagens desta história nada fictícia.

Para adquirir com antecedência exemplares do livro, você pode fazer sua compra através de depósito bancário na conta do autor (Banco do Brasil, agência de João Monlevade – nº 2220-9 / Conta Corrente 18.568-X, em favor de Marcelo Manuel de Melo). 

Em seguida, basta enviar cópia do recibo do depósito bancário para o email morrodogeomelo@globo.com, informando ainda seu endereço e telefone de contato. Os valores das cotas de colaboração variam de R$ 20,00 (com direito a um livro) a R$ 400,00 (com direito a 20 exemplares), abaixo do preço quando for editado. O número de livros a ser adquirido fica a cargo do cliente.

Quem fizer a aquisição antecipada terá direito a participar de uma noite de autógrafos especial e exclusiva, em março próximo. Você receberá um comprovante de pagamento com o qual poderá retirar seus exemplares.

Para outras informações entre em contato através do telefone (31) 8727 0379.

Obrigado a todos!