Mais uma prova da discriminação racial de nossos políticos

O Congresso aprovou um Projeto de Lei que reserva 20% de vagas a concursos públicos para negros. Assim como para as faculades, mais uma vez os senhores deputados e senadores batem o martelo  comprovando a tese de que a discriminação racinal neste país é latente, já que considera o negro menos capacitado do que pessoas de outras etnias. Considero o fato uma tremenda demagogia e o ato de lavar as maãos como se fosse resolver os problemas sociais do Brasil. Sobre o caso, muito feliz o comentário da amiga Lutécia Mafra Espeschit, bancária e fotógrafa, postado na rede social do Facebook agora a pouco, e que posto abaixo:

“O governo acredita que só os negros e os afro-descendentes é que não têm capacidade de serem aprovados num concurso público. Conceder cotas aos negros, que dizem ser todos pobres e sem chance de ascensão social, é bem mais fácil que melhorar a qualidade do ensino público e gratuito onde, além dos negros e pardos, existem brancos, amarelos e vermelhos também pobres e sem chance de ascensão social, que não têm acesso a informação digital, a livros, a revistas, jornais e ENSINO DE QUALIDADE”.

Parabéns, Lutécia, faço minhas as suas palavras.

Anúncios

Uma resposta to “Mais uma prova da discriminação racial de nossos políticos”

  1. Lutécia Says:

    Assim é a Democracia, a vontade da maioria sobre a da minoria. A questão é quem queremos para nos representar, já que criam e votam leis em nosso nome. A vida não é como pensamos e sim como a fazemos. Abraços, Marcelo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: