Monlevade dá adeus ao grande Sr. Eduardo Dias!

Quem faleceu por volta das 6 horas da manhã de hoje, foi o aposentado Sr. Eduardo Henrique Dias, 85 anos, que já passava por problemas de saúde a alguns anos. Seu “Dudu”, como era carinhosamente chamado pelos amigos, estava internado no Hospital Margarida desde a última terça-feira, vindo a falecer neste sábado, 16 de agosto. Ele deixou oito filhos: o amigo Marco Dias (Marquinhos do Kib´s Bar), Renato, Denise, Cláudia, Regina, Angelina, Kátia e Maria Tereza, e ainda 19 netos e sete bisnetos.

O Velório está sendo realizado no Velório Municipal e o sepultamento está marcado para hoje, sábado, saindo o féretro às 17 horas para o cemitério do Baú.

Nascido em Pedro Leopoldo, ele chegou a João Monlevade com 15 anos de idade e já ingressou na Cia Siderúrgica Belgo-Mineira. Naquela época era comum entrar na Usina ainda menor de idade. Mas veio aqui por acaso. Conforme matéria publicada no jornal “Morro do Geo”, edição publicada em agosto de 2001, quando fiz uma reportagem com ele. Na época, veio apenas para visitar a mãe, que estava doente. “Meus pais e meus irmãos já moravam aqui, na Pedreira. Eu estudava em Belo Horizonte e, como minha mãe estava muito doente, vim visita-la. Ficaria aqui no máximo dois dias, mas ela pediu-me para não ir mais embora. Aí fiquei e estou até hoje, e daqui só saio para o Baú”, relatou Sr. Eduardo, na época. Também durante a matéria publicada em nosso jornal, ele confessou a paixão que sempre teve pela sua esposa, saudosa Dona Leide Costa Dias, a quem conheceu durante a celebração de uma Missa. Disse à reportagem: “Desde a primeira vez que vi a Leide, disse para mim mesmo que ira casar com ela. E foi assim. Nos casamos em 1953. Vivemos muito felizes e a grande vantagem é que ela sempre me compreendeu. Às vezes saia comigo para os bares. Era uma grande companheira e tivemos oito maravilhosos filhos”. Sempre foi assim: franco. Um boêmio, mas muito família. Seu pai, o comerciante Josué Henrique Dias, tornou-se o 1º vice-prefeito de João Monlevade, assumindo a cadeira de chefe do Executivo no ano de 1966, após a eleição do então prefeito Wilson Alvarenga para a Assembleia Legislativa, Seu Eduardo sempre foi ativo na comunidade, tanto na área de esportes quanto em trabalhos sociais, tendo sido inclusive um dos sócios-fundadores da Credibel.

Eu, particularmente, tinha uma relação de amizade muito grande por ele, uma pessoa que sempre admirei pelo seu caráter e franqueza. Bom de prosa, inteligente e politizado, com quem eu tinha muito prazer de conversar quando descia de Carneirinhos para ir até o “Bar do Cláudio”, ali de frente para a Igreja São José Operário, onde ele morava. Era agradável e havia uma empatia muito boa entre a gente. Atleticano nato, sempre ali no estabelecimento, presente, assistindo aos jogos do Galo sempre em companhia de sua Skol ou Kaiser. Houve uma história fantástica, ocorrida exatamente no dia em que ele completava seus 80 anos, ou seja, cinco anos atrás. Era 15 de julho de 2009 e o Cruzeiro na final da Copa Libertadores, contra o Independentes da Argentina. Jogo no Mineirão. Horas antes do jogo, estávamos lá, no “Bar do Claudinho”, tomando uma cerveja com ele e o também atleticano, seu grande amigo, Fernando (hoje também adoentado), esposo da professora Soares. Nisso surge o cruzeirense fanático Francisco Piedade, o “Chiquinho” que, antes de para no bar, vai até a Gruta fazer uma Oração. Volta sorridente e diz para nós três: – “Fui lá rezar para que nosso time seja campeão hoje. Vai ser fácil”. Despedimo-nos sorridentes, quando Seu “Dudu” deu uma tirada, sempre presente com seu estado de espírito: – “Não, não acredito que Deus vai me dar um presente deste em pleno dia do meu aniversário”. Final da história: Independentes campeão, tendo vencido o Cruzeiro de vira, em pleno Mineirão, por dois a um. Seu Eduardo pode comemorar seus 8.0 sem qualquer problema (rs).

A vida é assim e ele fez a sua parte. Ficará uma grande lacuna deste homem que se torna imortalizado pela obra deixada em João Monlevade. Aos familiares e amigos, que Deus conforte a todos e, com certeza, seu lugar está muito bem guardado ao lado do Senhor. Com seu sorriso, a sua sabedoria, que passou às futuras gerações. Do lado de cá, eu, particularmente, agradeço muito por tê-lo conhecido e convivido com ele, mesmo nos bares, ora jogando conversa fora e outras vezes falando de política, que ele muito gostava. E mais: tive uma grande felicidade em saber que, mesmo adoentado, ele leu e gostou do meu Livro, “A Saga: Memórias de um Jornalista do Interior”, que ficava na cabeceira de sua cama. Vá com Deus e fica aqui a minha despedida, muito sincera.

Eduardo Dias

Na foto acima o Sr. Eduardo Dias, durante uma reportagem que fiz com ele, publicada na edição de nº 012, de 1/8/2001, no jornal “Morro do Geo”. Nosso bate-papo foi realizado no Restaurante Rampa´s, ponto muito bem escolhido. Afinal, ali,  diariamente, “Seu Dudu” comparecia para tomar uma cerveja e encontrar os amigos. Ao seu lado o garçom “Pelé”, que deixou história no estabelecimento

DSC02131

Aqui, com o já saudoso e amigo Sr. Eduardo Dias, em foto feita durante o “I Encontro dos Kibiseiros”, realizado em dezembro de 2011

DSC02221

Ainda no “I Encontro dos kibiseiros”, com os filhos Marquinho, Renato, Regina e Denise, genros, nora e neto

DSC02172

A vida é mesmo uma grande brincadeira e Seu Eduardo a levava assim, numa boa. Aqui, neste momento que registrei, em dezembro de 2011, quando os ex-frequentadores do “Kib´s Bar”, estabelecimento famoso e que durante 20 anos foi dirigido pelo seu filho, o amigo Marquinho, resolveram realizar um Encontro, idealizado e coordenado por mim, pelo próprio Marquinho, e os também amigos Eduardo Quaresma e Pedro Paulo. E lá ele esteve presente, nos seus 8.2. Aqui, ao lado do ex-prefeito Antônio Gonçalves, o “Pirraça”, e o Edmar “Careca”. Às suas mãos uma lista, feita na hora, por alguns butequeiros, com os nomes dos ex-frequentadores do “Kib´s” que já haviam partido do “Combinado”. E agora, com certeza, Seu “Dudu” vai reencontrar velhos amigos, Vá em Paz, Grande Homem!

Anúncios

2 Respostas to “Monlevade dá adeus ao grande Sr. Eduardo Dias!”

  1. Marco Antonio Says:

    ObrigadoMarcelo.Eu sou supeito para falar deste grande HOMEM que foi meu PAI.Mas fico muito grato com a sua consideração por ele e sei que isto não é de hoje, mas, vem de muitos tempos.

  2. Vilney M. Assis Says:

    Fiquei sabendo hoje pelo seu blog. Meus sentimentos à família.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: