Archive for abril \28\UTC 2015

Monlevade: 51 anos!

28 de abril de 2015

Amanhã, 29 de abril de 2015, João Monlevade completará seu 51º aniversário de emancipação político-administrativa. Muitas histórias, muitas pessoas envolvidas no processo emancipatório. Monlevade, que cresce verticalmente, mas que deixa tanto a desejar hoje em tantas outras áreas, como por exemplo no plano cultural e artístico. A cidade ficou estagnada, onde hoje se pratica uma política retrógrada, à moda coronealista.

Nós, que vivemos tantos anos sob as saias da Mãe Belgo-Mineira, talvez tenhamos ficado mal acostumados. Mas não havia modos de reverter a história, de quando até para trocar a lâmpada queimada de nossas casas, a Mãe Belgo-Mineira mandava um eletricista. Os fogões eram elétricos, a água de graça e tudo girava em torno dela, que também controlava a vida social de toda a comunidade. Fosse operário da Usina ou não. Ela quem cuidava do futebol, formava times e contratava jogadores; ela quem promovia os grandes bailes e investia no carnaval. Ela quem construiu toda a cidade, os clubes, as praças, as escolas. Foi a Belgo-Mineira quem exerceu seu espírito maternal até meados da década de 80, quando decidiu destruir parte de nossa história. Assim começou a mudar a nossa história.

Mas, deve-se ao seu crescimento, o talento dos homens, metalúrgicos, operários, que deram seu suor para torná-la competitiva, fabricando um aço nobre, o fio-máquina. E foram outros que fizeram de Monlevade uma cidade próspera. Mas que, não manteve a sua qualidade de vida talvez pelo excesso de zêlo, como um filho mimado. Custou a aprender a andar com as próprias pernas e ter a vontade própria. Mas, apesar dos pesares, ainda gosto muito de você, minha terra-natal.

Parabéns, João Monlevade, pelos 51 anos. Temos muito ainda a aprender e que cheguem novos sonhadores com propostas avançacas, de vanguarda, para fazer com que a boa terra não sucumbe no desleixo, na mesmice político-partidária. Há novos sonhos a conquistar!

Vista Parcial CSBM 02

A usina da Belgo-Mineira, ao centro, cercada pela Vila Operária que se transformou na cidade de João Monlevade, nesta linda foto aérea

Arquivo: “Morro do Geo!” – Visite o Site que resgata a história de João Monlevade:

http://www.morrodogeo.com.br

Anúncios

Festival da Canção de 1975

24 de abril de 2015

Festival de 1975

Clique na Imagem:

João Monlevade viveu sua eferverscênciua cultural durante o governo do saudoso prefeito Lúcio Flávio de Souza Mesquita, ou simplesmente Dr. Lúcio. Médico, ele governou o município de 1973 a 1976 e foi um boom na realização de eventos, como o “Festiaço”, em abril de 1974, quando Monlevade completava 10 anos de emancipação político-administrativa.

Na foto acima, um flagrante durante o Festival da Canção de 1975, realizado no Ginásio do Grêmio Esportivo Monlevadense. Na oportunidade, o então prefeito fazia a entrega do prêmio de 1º colocado ao compositor Vicente Leandro, que também foi quem defendeu sua música, intitulada “Embolada Carioca”. Quem, de nossa geração, não se lembra do refrão? – “Seja baiano, paulista ou mineiro, todo mundo tem vontade de conhecer o Rio de Janeiro”,  e que agitou o público presente. Havia músicas melhores, entre elas uma de Luciano Lima e também de Chico Franco, mas foi esta que agitou a plateia e com certeza influenciou na dicesão do Corpo de Jurados. Ainda na foto, outro premiado, o compositor Chico Franco, e o ex-vereador João Biosco Pascoal. Para recordar!

Arquivo: “Morro do Geo”!

http://www.morrodogeo.com.br

Uma Homenagem às nossas Bandas de Música

24 de abril de 2015

Banda de Música

Monlevade sempre teve tradição em se tratando de Banda de Música. Como dizia o saudoso amigo Antônio Gabriel de Araújo, que sempre foi amante de Banda, “A Furiosa”, desde os tempos de Seu Macedo, outro que sempre amou esta arte. E ótimos maestros, como o saudoso Sr. Caldeira e hoje, na nova geração, o amigo Antônio Carlos Maroun.

Na foto, um desfile realizado nos anos 1980 – não sei afirmar se a Corporação Musical Monlevade ou a Corporação Musical Guarani. Data-vênia, acho que a Banda Monlevade. Mas o objetivo é fazer desta foto uma homenagem aos nossos músicos, como o velho/moço Julinho, que cito aqui para representar a todos. Que tiram dinheiro do próprio bolso para viagens, lanches eos ensaios. A esta gente guerreira que mantém esta tradição, por amor á causa. Meus parabéns e o meu respeito!

Arquivo: “Morro do Geo” – http://www.morrodogeo.com.br

Depois do fim do som automotivo, agora é hora de melhorar o trânsito no Distrito

22 de abril de 2015

Meses atrás escrevi aqui neste espaço um artigo intitulado “O Turista que irrita”, referindo-me ao mal turista de um modo geral, que incomoda com o som automotivo, faz churrascos no meio da rua, fica com o som ligado até a madrugada, não respeita a cultura do lugar. E hoje, vou falar exatamente do oposto, ou seja, do bom turista, o que é sempre bem-vindo.

Pois bem, mas o fato ocorrido no Revéllion, que culminou com uma briga e depois com o problema dos tiros, foi a gota d´água para que a Comunidade unisse e buscasse meios de tornar Lavras Novas um lugar seguro como sempre foi, e de preservação de sua cultura e tradições. Assim, nasceu o Grupo “Por uma Lavras Novas Melhor” e, com apoio da Mesa Administrativa e da Asociação dos Moradores, foram tomadas decisões e colocadas em prática, como a instalação das placas em vários pontos do Distrito, proibindo o som automotivo, distribuição de panfletos educativos, além das Blitz, que foram realizadas durante os feriados de Carnaval e Semana Santa. E, o resultado já está sendo positivo, quando agora, no feriado de Tiradentes, também nenhuma ocorrência foi registrada, e praticamente foi dado fim ao som automotivo e outros problemas antes comuns. Está de parabéns a Comunidade por esta conquista.

Trânsito

Agora, outro mal precisa ter fim, mesmo que a médio prazo. Trata-se do excesso de veículos, principalmente dos turistas, que trafegam pelo Distrito nos finais de semana e, principalmente, nos feriados prolongados. Acredito em uma Campanha, com dizeres do tipo “Em Lavras Novas, anda-se a pé”. Sei lá, ou algo parecido. para inibir os motoristas, para que possam se sensibilizar e deixar seus carros nos locais onde estão hospedados. Um lugar pequeno e andar a pé seria muito mais interessante. A Rua Principal, principalmente na região do Gramado, transforma-se num verdadeiro inferno diante dos engarrafamentos, justamente pela falta de consciência dos acomodados. E ainda recolocar algumas placas de Estacionamento Proibido, que foram retiradas na “Rua de Cima”.

Está apresentada a nossa sugestão.

GEDSC DIGITAL CAMERA

O cenário mostra o grande número de veículos durante os finais de semana, trazendo inclusive insegurança às pessoas

(Foto: Marcelo Melo)

Idosa aguarda mais de 3 horas sem ser atendida no HM

21 de abril de 2015

A saúde em nosso país continua não sendo prioridade, nem mesmo para as pessoas mais idosas. E um fato ocorrido no Hospital Margarida, em João Monlevade, no último sábado, 18, foi uma prova do descaso em algumas situações. O fato aconteceu com a senhora Maria Josina Costa Lima, 78 anos, residente em Carneirinhos. Com prolemas de saúde, foi levado pelo genro, Vilney de Assis, ao HM, onde ficou, sem atendimento, de 16 horas até sete e meia da noite. Ou seja, três horas e meia aguardando ser atendida pelo médico plantonista, o que não ocorreu, e teve de retornar para casa.

Portanto, ica o alerta pela falta de compromisso e que a situação não chegue ao caos.

Um domingo descendo a serra; de Lavras Novas até o Salto

20 de abril de 2015

Manhã deste domingo, descendo a serra de Lavras Novas com os amigos Caco, Aramil e Wilson, para Santo Antônio do Salto, num trecho de 12 Kms. Vista maravilhosa, apesar do péssimo estado da estrada. Mas valeu a pena, pela paisagem, como aqui, na pedra no alto da montanha, que lembra a imagem de Santo Antônio. A nossa benção!

Chegando ao Salto, uma boa prosa no “Bar do Toninho”, um sujeito sábio e inteligente. E ali, pessoas simples, entre uma cerveja e uma cachaça. E ao lado, Missa que havia começado as 10 horas, na Igreja do Distrito. Entre um cumprimento e outro, conheço o Sr. Benedito Sabino dos Santos, 80 anos de vida de sabedoria e a quem tive o prazer de prosear um pouco. Mora ali perto do Salto, no lugar conhecido como “Fundão do Cintra”. Viúvio, mora só, onde nunca deixou de trabalhar. Aposentado da antiga Eletroquímica do Brasil, depois a Alcan, após 38 anos de serviços prestados, é um grande artesão, começando no ofício ainda criança. e faz imagens de santos que são comercializadas por este Brasil afora, entre outros objetos. Homem simples, porém culto.

O bom de ser mineiro é tudo isto! Poder andar por este mundão de meu Deus e conhecer e lugares bonitos e ainda pessoas simples, porém sábias e com uma experiência de vida fantástica. Obrigado, meu Deus, por ser destas Minas, destas Geraes!

GEDSC DIGITAL CAMERA

Início da serra e a nuvem sob um céu azul

GEDSC DIGITAL CAMERA

Pedra sobre a montanha que lembra a imagem de Santo Antõnio

GEDSC DIGITAL CAMERA

Seu benedito Sabino, 80 anos de sabedoria

Hospital Margarida relata situação financeira em reunião com vereadores e entidades

16 de abril de 2015

Em reunião realizada na tarde dessa quarta-feira, 15, a diretoria do Hospital Margarida relatou a atual situação financeira da casa de saúde. O encontro foi solicitado pelo vereador Telles Superação (PSC), presidente da Comissão de Saúde da Casa, na reunião ordinária da última semana.

O objetivo da reunião foi apresentar a real situação financeira da instituição e discutir sobre a proposta de unificação do serviço de urgência e emergência entre o Pronto Socorro do hospital e o Pronto Atendimento Municipal. O encontro contou com a presença do provedor do hospital, José Alberto Grijó; do atual administrador Ronaldo Neves de Alvarenga; de diretores da instituição; do presidente da Associação Médica de João Monlevade, Manoel Furtado de Lacerda Neto e do presidente do Conselho Municipal de Saúde, Décio de Souza. Também estiveram presentes o presidente da Casa, Djalma Bastos; e os vereadores Belmar Diniz (PT), Carlos Gomes (PSB), Guilherme Nasser (PSDB), Leles Pontes (PRB), Thiago Titó (PMDB) e Tuquinho do Povo (PROS).

Segundo o administrador do hospital, ao assumir a entidade, encontrou uma dívida de R$7.526.925,08, fora a dívida com os médicos que atendem no Pronto Socorro da instituição, que chega a R$616.851,12. Com relação aos pagamentos liquidados em março, o valor foi de R$2.090.612,38.

Ronaldo disse que, há dois meses, quando assumiu a direção do Margarida, encontrou uma situação financeira bastante complicada, além do desgaste na relação entre médicos e hospital. Desde então, ele afirma que está sendo feito um trabalho para retomar a boa relação entre ambos. “Estou há pouco tempo à frente do hospital e sei que vamos ter que trabalhar muito para melhorar essa situação. É algo difícil, mas acredito que com a união de todos vamos conseguir superar”, destacou.

Com relação aos R$230 mil repassados pela Prefeitura ao hospital para pagamento dos médicos que prestam serviço ao Pronto Socorro, Ronaldo falou que será aberta uma conta específica para tal com o intuito de que esse dinheiro seja utilizado apenas para esse fim. O mesmo será feito com a verba que vem do Governo do Estado, por meio do Programa Rede Resposta, destinado também para serviços de urgência e emergência.

Sobre a proposta de unificação do serviço de urgência e emergência, Ronaldo explicou que a intenção é fazer uma avaliação experimental no horário entre 19h e 7h. Segundo o administrador, um estudo está sendo feito pelo hospital para analisar essa questão. Para tanto, caso a unificação realmente aconteça, existe a possibilidade de se criar um novo espaço para dividir os pacientes mais graves daqueles com menor gravidade. “Para isso, serão treinados profissionais para fazer a triagem dos pacientes através do Protocolo de Manchester”, apontou.

Por fim, Ronaldo disse que caso a proposta da unificação seja realmente efetivada, será desenvolvido uma campanha intensa de conscientização junto à população. “Nossa intenção é fazer com que o cidadão tenha consciência de que caso sua situação seja de menor gravidade, que ele pode recorrer aos postos de saúde para ser atendido. Assim, vamos melhorar muito o atendimento àqueles pacientes mais graves”, ponderou.

Pediatria

Outra questão discutida durante a reunião foi a situação da clínica pediátrica do Pronto Socorro do hospital. Segundo Ronaldo, a maioria dos pediatras que prestam serviço ao Margarida já fazem plantão há mais de 30 anos. Diante da atual situação financeira da casa de saúde, a ausência de plantonistas na clínica pediátrica tem sido cada vez maior. “Até 2010, a escala de plantão da pediatria estava fechada. Mas de lá para cá, o desgaste foi muito grande e os médicos não mais querem prestar plantão”, explicou o presidente da Associação Médica, Manoel Furtado.

O médico ainda ressaltou que existe a possibilidade real do fechamento da maternidade do hospital devido à falta de pediatras, inclusive nos fins de semana.

Audiência Pública

Ao fim da reunião, o vereador Belmar Diniz reforçou o pedido para a realização de uma audiência pública para se discutir mais a fundo a situação do hospital, inclusive com a participação da comunidade. “Gostaria muito que a diretoria do Margarida atendesse ao nosso pedido para que possamos unir forças para resolver essa questão. Acredito que a soma de esforços é de extrema importância para que o Hospital Margarida possa se reerguer”, declarou.

Por fim, o presidente Djalma Bastos destacou que a discussão é extremamente válida e que o diálogo é a melhor saída para se buscar soluções para o problema. “A Câmara Municipal se coloca à disposição para ajudar no que for necessário. Eu e os demais vereadores estamos juntos nessa causa e vamos unir esforços para que o Hospital Margarida saia dessa situação, sempre primando pelo atendimento de qualidade ao paciente”, concluiu.

Reunião

Flagrante da reunião realizada nesta quarta-feira

(ACOM/Câmara Municipal de João Monlevade)

Conheça a história de João Monlevade

16 de abril de 2015

Quer conhecer a história de João Monlevade? Saiba tudo através de nosso Site, o que resgata a história da cidade. Saiba toda a sua história e das pessoas que ajudaram a construí-la. No próximo dia 29 de abril Monlevade completará seu 51º aniversário.

http://www.morrodogeo.com.br

Os militantes agora são das redes sociais

16 de abril de 2015

Pensando cá com os meus botões, cheguei à conclusão de que hoje, em se tratando da militância petista, são hoje maioria apenas nos teclados, nas redes sociais. E mais ainda: aquele grupo que esbraveja que é do PT, que sai em defesa de seus ideais, é formado em sua maioria da elite, burguesnhos que ganham muito bem, viajam duas vezes por ano e sempre vão ao exterior, e não têm ideia do que é a pobreza. Conhecem apenas os seus umbigos e se gabam de serem da “esquerda”. E, para eles, o errado não é o que se faz, mas quem faz. Porque, para este grupo, as roubalheiras praticadas pela cúpula do PT e este desgoverno da senhora Dilma Roussef – que tem levado a nossa economia ao caos e provocando o aumento dos impostos e tarifas públicas como se fosse o povo brasileiro responsável por esta lambança – são justificáveis. Aliás, ouvi um desses fanáticos dizer um dia que a situação ai está é por culpa do Renan Calheiros e de sua turma, não da Dilma. Melhor ouvir isto do que ser surdo.

Mas, como diz o cantor e compositor Lobão, “discutir com petista é como jogar xadrez com pombos”…

Um time medíocre e um técnico convencional

16 de abril de 2015

De técnico de futebol e de louco, todos nós, brasileiros, temos um pouco, já dizia o Mestre Kafunga. Agora, ontem, o técnico do Atlético, Levir Culpi, diante o jogo contra o Atlas, pisou na bola. Deixou Guilherme no banco e Dátolo não jogou nada. E, ao colocá-lo em campo, sacou logo Lucas Pratto, deixando aquele Carlos, que chuta para onde o nariz aponta. Atacante instável e só faz gol quando está ele e a rede. Aliás, juntando-se à atuação convencional e sem plasticidade do nosso técnico, o feio futebol jogado pelo Galo. Simplesmente medíocre e tomara que caia já contra o Colo-Colo – a quem precisa vencer por dois gols de diferença para ir às oitavas de finais -, para não dar mais vexame à frente.

E não venham alguns imbecis dizerem que não sou atleticano. Sou, sim, racional. Mas com este elenco, que depende de um lateral – no caso o Marcos Rocha – para sobreviver, tem mais que se ferrar.