O Brasil nunca foi um país sério!

“O Brasil não é um país sério”. Diz a história que a frase foi dita pelo francês Charles de Gaulle, figura política mais respeitada do Século XX. Mas, segundo o blogueiro Antônio Ribeiro, em um artigo que escreveu em dezembro de 2012, a frase, na verdade, foi dita pelo diplomata brasileiro Carlos Alves de Souza Filho, embaixador do Brasil na França entre 1956 e 1964, genro do ex-presidente Artur Bernardes. E foi dita após um episódio envolvendo os dois países.

Mas, algum brasileiro em sã consciência discorda desta frase? A pura verdade e a cada dia mais forte ela se torna, como mais recentemente no episódio ocorrido na vizinha cidade de Mariana, com o rompimento de uma barragem, ironicamente chamada “Fundão”, e que afundou, com sua lama tóxica, toda a história de um povoado e um rio que era Doce. A tragédia provocada pela Samarco, cujas maiores acionistas são a Vale e a BHP (empresa australiana) não tem cura e somente ocorreu em razão da ganância, da falta de estrutura, da inoperância de alguns profissionais, da falta de fiscalização, de um governo omisso e covarde, que tem como prioridade arrecadar impostos e não cuidar de seu povo. Não dar dignidade a ele. E como ficam os milhares de moradores de mais de 200 municípios atingidos pela lama, entre Minas e o Espírito Santo, ao longo do Vale do Rio Doce? Hoje, alguns sem moradias, sem suas roças e plantações, sem suas poucas cabeças de gado, sem suas galinhas botadeiras, seu suas pocilgas. Outros estão sem água potável, sem água para tomar banho. Outros, que viviam da pesca, não terão mais peixes durante muitos anos. E pior, outros, perderam entes queridos que foram enterrados pela lama, alguns operários dessa mineradora ou de suas empreiteiras, e outros moradores dos lugares atingidos, em maior escala o distrito de Mariana, Bento Rodrigues, que sucumbiu e foi-se toda sua história.

E o que aconteceu até o momento com os responsáveis pela tragédia? Nada, absolutamente nada. Todos em liberdade, porque este país não é sério. Aqui as leis somente servem para os pobres, os injustiçados. Fosse um pescador que tivesse pescado um peixe na Piracema; ou um morador de zona rural que cortasse uma lenha para ascender seu fogo, fazer sua comida e esquentar a serpentina, estariam presos, na cadeia. Mas, para os ricos que provocam o maior crime ecológico da história de um país, há liberdade, ibope, câmeras de TV e até o perdão imediato de suas vítimas. Mas aqui não é Paris, aqui é Brazil!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: