Uma segunda-feira sem Ressaca!

Acabou-se o que não era doce. Aliás, tinha uma pitadinha de açúcar! Afinal, em uma disputa eleitoral, mesmo para quem está fora, no meu caso, mas que tem as mãos e alma dentro do jornalismo, a adrenalina é muito intensa. E esta campanha teve para mim um sabor meio amargo em alguns sentidos. Mesmo com meus 32 anos de profissão, foi um percurso bem desgastante; para meu cérebro, para meus dedos e mãos, de frente para o meu Computador. Pensando, escrevendo, debatendo nas ruas ou nos bares, e muita conversa para pouco diálogo. De coração, desculpe às pessoas que sentiram-se ofendidas com minhas palavras e letras. Desculpem os que faziam parte do meu elo de amizades e que agora tornaram-se desafetos. Mas apenas colhi o que plantei.

Bem ou mal, não consigo omitir minha opinião. Não faz parte de meu papel nesta vida ficar calado diante dos fatos. A polêmica faz parte do meu cotidiano. Não apenas pela profissão que exerço, mas pelo sangue que corre em minhas veias. Sou um Melo misturado aos Baptista de Oliveira. Sou um jornalista sempre de Plantão! Poderia ser brando, mais terno, sei lá! E juro que gostaria de ser menos ofensivo, discutir menos, ouvir mais, ter a sabedoria e a frieza dos monges. Mas quem sabe, um dia, a gente aprende! De qualquer forma, todos somos diferentes.

E, falando sobre o resultado das eleições em Monlevade, nunca na história desta cidade houve uma disputa tão apertada, com um gol de barriga aos 46 do segundo tempo, na prorrogação, como aquele feito por Renato Gaúcho, para o Fluminense, em uma final contra o Flamengo. Triste em ver Conceição Winter sair derrotada mais uma vez. Mas feliz pela vitória de Simone Carvalho porque sei de sua competência e capacidade profissional. Além, de claro, o povo de João Monlevade eleger pela primeira vez em sua história uma mulher para comandar o município. Também o seu vice-prefeito, Fabrício Lopes, um amigo particular e que coloco confiança em seu trabalho. Parabéns aos dois e sucesso nesta luta!

Mas, falando em sentimento, um maior ainda foi acordar na segunda-feira sem qualquer ressaca, graças a Deus. Ver a derrota do Grupo que tinha o PDT com o corpo, mas o PT com a alma, com aquelas velhas caras que só aparecem no município de quatro em quatro anos, arrogantes e que se acham os intocáveis, como o “Mestre Ravengar”, foi muito, mas muito gratificante. Não importa se por uma diferença de pouco mais de 120 votos, porque aí parece até mais prazeroso. Mas porque com certeza, este pessoal deve ter ficado a noite, madrugada adentro, de domingo para segunda, acordado sobre o travesseiro, pensando: “no que erramos para perder por uma diferença dessas”? Talvez bater mais nos adversários do que apresentar propostas. Talvez a distribuição dos apócrifos na reta final de campanha. Talvez pelo excesso de confiança, arrogância e desrespeito aos adversários. Mas isto agora é assunto para outra pauta!

Com relação à Câmara Municipal, dos 10 vereadores que tentaram a reeleição, três foram derrotados. Carlos Gomes, Tuquinho e Telles Superação. Ou seja, 30% de renovação. Quanto a este último, tinha total convicção de que sairia fora. O povo não gosta muito de quem muda de lado com frequência. E das oito caras novas, três já são “macacos velhos” da política: Gentil Bicalho, Toninho Eletricista e Pastor Carlinhos. Aliás, uma boa coincidência, já que nas eleições municipais de 1992, quando ainda os votos eram dados em cédulas, houve recontagem de votos. Na 1ª contagem, Gentil (na época filiado ao PDT) havia disso eleito e durante a recontagem Gentil perdeu a vaga de vereador exatamente para Toninho Eletricista. Agora, os dois juntos! Vamos torcer para que seja um Legislativo atuante. E, no mais, parabenizar a todos os senhores eleitos e aqueles que foram reeleitos.

Quero aqui apenas deixar minha indignação pelo fato de, mais uma vez, a Casa Legislativa ficar sem representatividade feminina. Lógico que não por culpa dos eleitos, mas sim dos eleitores, que elegem uma mulher para governar o município e nenhuma para a Câmara Municipal. E gostaria muito da vitória de três mulheres, entre as tantas candidatas e com todo respeito às demais: Lana Domingues, Lutécia Espeschit e Sirlene de Freitas. Pessoas que, com certeza, representariam muito bem a Casa Legislativa. Cabeças novas, progressistas e que muito somariam. Mas elas estão no caminho certo e outras eleições virão.

 

 

4 Respostas to “Uma segunda-feira sem Ressaca!”

  1. Vilney Monteiro de Assis Says:

    Caro marcelo, tudo bem com vc?

    Opinião é mesmo como vc disse, cada um com a sua e tbem vou deixar a minha aqui.

    Falar que esta candidata foi eleita pela sua competência e capacidade profissional é foda né !

    Até mesmo porque todos os monlevadenses e a torcida do corinthians sabe como vai ser a administração de nossa cidade daqui pra frente!

    Um grande abraço, e vai aí o meu comentário !

    • blogdoleunam Says:

      Fala Vilney. Estamos bem, graças a Deus. Concordo em parte com você. Afinal, cada qual com sua opinião. Mas entre Simone e Railton, jamais votaria na segunda opção.

      Um grande abraço,

  2. Jose Henriques Junior Says:

    Grande Marcelo! Excelente texto re reflexão. Voltei a blogar novamente, no meu blog antigo (uglydarkside.blogspot.com)!
    E como sempre digo, vamos subindo as montanhas! Saudações alvinegras!

    • blogdoleunam Says:

      Valeu grande Henriques Jr. A vida de casado está te fazendo bem. Afinal, retornou com seu amravilhoso trabalho em seu Blog, pioneiro em Jota Moné. E obrigado pelas palavras elogiosas. Um forte abraço e vamos subindo as montanhas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: